Com consciência, maioria dos sindicatos e trabalhadores aprova a proposta

Os Sindicatos submeteram a proposta do Acordo Coletivo de Trabalho 2014-2015 aos trabalhadores dos Correios para avaliação em assembleia. O processo de negociação construído com a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), representou significativos avanços, dentre eles, destacam-se as conquistas obtidas nas cláusulas sociais, de representação dos empregados, de distribuição domiciliária e saúde do trabalhador.

O quadro, até o início da tarde de quinta-feira (18/09), era de aprovação por 18 sindicatos: Acre, Alagoas, Amapá, DF, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Juiz de Fora (MG), Uberaba (MG), Mato Grosso do Sul, Pará, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Maria (RS), São Paulo Metropolitana (SP), Santos (SP), Bauru (SP) e Ribeirão Preto (SP). Outros 9 sindicatos rejeitaram a proposta, mas não deflagraram paralisação: Amazonas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina, Campinas (SP), São José do Rio Preto (SP) e Vale do Paraíba (SP).

Apenas 7 sindicatos rejeitaram a proposta e deflagraram paralisação. Mesmo assim, o total de empregados que aderiu ao movimento não supera 3% do efetivo dos Correios. E mesmo com a paralisação deflagrada, cerca de 80% dos carteiros desses 7 Estados estão trabalhando normalmente.

A atitude da maioria dos sindicatos demonstra responsabilidade e comprometimento com os trabalhadores, que aceitaram a proposta. A vontade da maioria dos empregados dos Correios pode ser comprovada por meio da avaliação que a empresa realizou na última semana a respeito do ACT 2014/2015.

O levantamento ouviu 43.695 empregados, sendo a maioria de unidade operacional ou de atendimento. Do total de participantes, quase 80% entendem que a proposta é satisfatória, contra 30% que rejeitam o acordo.

Entenda as vantagens:

A proposta prevê reajuste mínimo de R$ 200 em forma de gratificação, a ser incorporada gradualmente, nos salários de quem recebe de R$ 1.084 a R$ 3.077,00.

Para quem recebe acima de R$ 3.077,00, o reajuste é de 6,5% no salário base. O reajuste proposto representa um aumento de cerca de 20% sobre o salário base dos agentes de Correios (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo) e abrange 91 mil empregados (cerca de 90% do efetivo da empresa).

A proposta inclui ainda reajuste significativo do vale-cesta, de R$ 158,45, passa para R$ 188,58, e 3 unidades extras de vale refeição por mês, com valor de R$ 30,13 cada.

Clique AQUI para ver o “Perguntas e Respostas” sobre a GIP.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *