Proposta de custeio do CorreiosSaúde é apresentada na comissão

A Comissão Paritária para Melhorias no CorreiosSaúde está trabalhando desde o mês de outubro de 2016. As representações da empresa e dos trabalhadores já discutiram melhorias em diversos assuntos ligados ao plano de saúde, com propostas já formuladas para avaliação. Entretanto, nenhum assunto é mais sensível do que o custeio do plano.

Todo o trabalho da comissão está sendo desempenhado com a máxima transparência, de forma que as representações e os trabalhadores tenham ciência do grave cenário pelo qual a empresa passa e, consequentemente, o plano. A forma atual de custeio do CorreiosSaúde compromete a sua sustentabilidade e agrava a situação da empresa. Essa situação deixa o plano em situação delicada perante a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Considerando todo esse contexto, a representação dos Correios apresentou, na tarde desta quinta-feira, dia 5, a proposta inicial de financiamento do plano, diferente do modelo atual. A exemplo de outros planos de saúde vigentes no mercado, o custeio será composto de mensalidade e coparticipação.

A proposta dos Correios é de que seja cobrada uma mensalidade, por beneficiário, titular e dependente, para cobrir o valor gasto com assistência médico-hospitalar e odontológica.

A ideia é continuar oferecendo plano de saúde para todos os empregados, aposentados e seus dependentes, porém, com grau de subsídios diferentes para os dependentes pai e mãe em relação aos demais.

Para os empregados, aposentados e seus dependentes legais, excluindo pai e mãe, a proposta é de um custeio paritário, ou seja, a despesa será dividida entre trabalhadores e empresa no seguinte formato: Mensalidade por faixa etária, conforme normas da ANS, e faixa de renda. Clique AQUI.

Além da mensalidade, a proposta prevê a cobrança, para os empregados, sobre os procedimentos ambulatoriais, de 30% em consultas e 10% sobre exames e terapias. Internações não terão, pela proposta, incidência de compartilhamento. Exemplos de coparticipação para alguns procedimentos podem ser visualizados clicando AQUI.

Já para os beneficiários pai e mãe, a proposta é de que o valor de mensalidade seja escalonado, durante 10 anos. Os Correios financiariam o plano, no primeiro ano, na proporção de 90%, ou seja, os empregados contribuiriam com apenas 10% da mensalidade. Anualmente, a taxa de financiamento dos empregados aumentaria na proporção de 10 pontos percentuais, ou seja, no segundo ano, a empresa será responsável por 80% do financiamento, já no terceiro 70%, até que toda a despesa seja completamente assumida pelos empregados.

Clique AQUI e veja como ficaria a mensalidade de acordo com a proposta apresentada pelos Correios para o ano de 2017.

Além da mensalidade, a proposta prevê compartilhamento nos mesmos moldes do plano dos empregados, aposentados e dependentes, ou seja, 30% em consultas e 10% sobre exames e terapias. Internações não terão, pela proposta, incidência de compartilhamento.

Preservar o CorreiosSaúde é responsabilidade de todos.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

44 respostas a Proposta de custeio do CorreiosSaúde é apresentada na comissão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *