Nova proposta de mediação é apresentada no TST

Em reunião de mediação ocorrida na tarde de ontem, dia 3, o ministro vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Emmanoel Pereira, fez uma proposta para que os empregados dos Correios que aderiram à paralisação voltem ao trabalho.

A proposta contempla os seguintes pontos:

– Férias: Parcelamento dos pagamentos acima de R$ 3,5 mil, com a revogação da suspensão nos meses de maio a dezembro de 2017. O parcelamento será apenas do que exceder a RS 3,5 mil, dividido em 5 vezes;

– Plano de Saúde: Enquanto houver mediação no TST, a empresa não judicializa o assunto;

– Dias de Greve: O TST propôs que haja o desconto de dois dias e compensação dos demais. Hoje será realizada uma reunião, às 9h30, para discutir o assunto, sendo que a empresa é favorável ao desconto total dos dias de paralisação.

A empresa confia no bom senso de seus empregados para encerrar a paralisação parcial, de forma a não prejudicar, ainda mais, sua sustentabilidade e a qualidade dos serviços prestados à população.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

9 respostas a Nova proposta de mediação é apresentada no TST

  1. JURA disse:

    Nada mudou.

  2. Antonio Cezar Silas disse:

    Volta Wagner Pinheiro. Vem devolver os 6 bilhões que vc repassou para o governo

  3. PECKER disse:

    As férias do Sr. Guilherme Campos, que tanta receita trouxe aos Correios- detalhe, não sabe a diferença uma carta simples e um PAC, além de ser um péssimo Presidente e está na presidência não por competência, mas por indicação política- tirou as “merecidas” férias de forma integral, sem parcelamento e nem nada.
    A ECT não está dando nenhum privilégio ao “conceder” férias aos funcionários, é obrigação.
    O trabalhador não trabalhou de forma parcelada, então esse “Presidente” da ECT deveria tomar ciência da sua péssima administração, que em menos de 10 meses é considerado por inúmeros ecetistas como o pior administrador que se passou na empresa.
    A greve vai continuar!

    • cristiano disse:

      Infelizmente isso é só o (re) começo , enquanto tivermos o aparelhamento político (independente de que partido ou fa… seja , tudo a mesma @#@#7) na empresa só andaremos para trás.

  4. odilio grigorio disse:

    Boa tarde,

    Os correios, segundo a alta gestao, estao com um deficit de mais 4 bilhoes, só que segundo a alta gestao houve retirada de mais de 6 bilhoes indevidamente, então lá no fundo os correios não estáo quebrado, quebraram foi os correios.Devolvem esse dinheiro e aí a situação fica normalizada, sobra até dinheiro para pagar as PLR e dar uma melhorsfs no plano de saude.

  5. DIEGO disse:

    Voto pela rejeição. Nada a segura o nosso emprego e a empresa ser pública. Vivemos em um país onde até o judiciário é corrompido. Vide Gilmar Mendes.

  6. luis 1 disse:

    e os manda chuvas de hoje ainda negam esses repasses em vem com balelas de que os correios estão no prejuízo.
    quanta mentira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *