Decisão sobre custeio do plano de saúde

Por maioria de votos, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) acatou, na tarde desta segunda-feira (12), a proposta de custeio do plano de saúde apresentada pelo ministro-relator Aloysio Corrêa da Veiga. As regras, que alteram parcialmente a cláusula 28 do ACT 2017/2018, começam a vigorar a partir da publicação da decisão no Diário da Justiça.

Confira os principais termos da decisão:

  1. Cobrança de mensalidade de empregados e seus dependentes, conforme faixas remuneratória e etária;
  2. Proporcionalidade de pagamento das despesas totais, sendo 30% para os empregados e 70% para os Correios;
  3. Manutenção do plano de saúde para todos os pais e mães, com cobrança de mensalidade, até 31/7/2019. A partir de agosto de 2019, os dependentes serão incluídos em plano família;
  4. Para pais e mães que estiverem em tratamento médico-hospitalar, o plano será mantido, nos moldes atuais, até a alta médica, conforme regras da ANS e sem cobrança de mensalidade;
  5. Isenção de coparticipação para internação;
  6. Havendo lucro líquido no exercício anterior, a empresa reverterá 15% para o custeio das mensalidades dos beneficiários.

A empresa está aguardando a publicação da decisão para avaliar os impactos financeiros da proposta e, em breve, divulgará detalhes e orientações aos empregados sobre a nova forma de custeio do plano de saúde.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

14 respostas a Decisão sobre custeio do plano de saúde

  1. antonio jabuca city disse:

    bonzinho os mandatarios dos correios e os sindicalistas da febntec, como fale anteriormente, em janeiro/17 foi feita uma tabela que seria menor o valor e nao tiraria pae e mae, porem os sindicalistas gritaram e nao aceitaram e agora temos que pagar a do tst, maior contribuição e sai pai e mae. empresa boazinha e sindicalitas oportunistas…

  2. Nataniel Torres disse:

    A greve acabou ou não ?

  3. indiguinado disse:

    sera que posso cancelar o prano???

    • Willian Atendente São Paulo disse:

      Ninguém pode ser obrigado a continuar no plano….. mas aí vc teria que ver quanto fica um plano particular. Pelos valores que a Postal saúde vai cobrar (ao menos no meu caso) fica proximo de um plano particular. Só compare a cobertura pra te ajudar a decidir.

      ♫… this is the end, the end is my only friend… ♪ (The Doors)

  4. Ronaldo Silva disse:

    O Plano de Saúde que “não tínhamos” funcionava muito mal, mas servia para algumas situações importante para nossa família. Agora estão criando um plano de saúde para a empresa, e quem vai administrar esse cabide de emprego é o próprio governo federal, colocando lá “uma dúzia e meia” de políticos bem remunerados a nossa custa e que não vai gerencia nada.

    Com uns trinta milhões mensais, recolhido dos contracheques dos funcionários, vai dar de pagar muita propina, menos BONS MEDICOS, pois o referido “plano” não será médico e sim uma estratégia para manter o “FOCO” na privatização, onde não terá, por parte dos funcionários, oposição. Quem diz que ESTA NOS CORREIOS POR CAUSA DO SALARIO no mínimo é “sem noção”, pois ainda é o Plano de Saúde quem mantem o bom animo de todos os Ecetistas. (falei)

  5. antonio jabuca city disse:

    caramba o desconto vai ser maio que o do ministro anteriormente, se vcs não viram os indices subiu, que tiro no pé da fentect e como a empresa é boazinha. seus ….

  6. LUZ disse:

    Única coisa que ganhamos foi tempo, pois a mensalidade chegou. Depois de meses deixaram TST resolver, o sindicato deveria ter negociado, mas temos coisas piores o fantasma da privatização. Esperamos que esse discurso de déficit acabe logo e possamos trabalha em paz. Porque fazemos a nossa parte.

  7. antonio jabuca city disse:

    olha so só a matematica:
    em 03/01/2017, primeira hora, tinha uma tabela proposta da ect pagaria R$276,90
    em 18/10/2017, tst, pagaria R$466,90
    agora em 12/03/2018, tst, vou pagar R$587,72.
    que matematica doida é esta que fizeram? não aceitaram e não aceitaram e agora temos que pagar.

  8. Sergio disse:

    Há pouco mais de um ano escrevi sobre isso.
    Recebi respostas me chamando de pessimista, desconhecedor das leis, pelego, etc.

    Como diz o ditado (adaptado), “quem chora por último chora melhor”.

    Sergio disse:
    1 de fevereiro de 2017 às 15:53
    Agora que a “Comissão Paritária para melhorias no CorreiosSaúde” terminou, a sequência de trabalho será:

    – sindicato e empresa não entram em acordo
    – sindicato realiza assembleias
    – resultado das assembleias: rejeitar as propostas da empresa
    – empresa não aceita
    – sindicato resmunga
    – empresa faz mimimi
    – sindicato faz geve
    – empresa tenta negociar
    – sindicato diz que a empresa não negocia, empresa diz que o sindicato não negocia
    – 26 dias de greve depois, empresa entra na justiça, com 381 artigos da lei para embasar
    – sindicato perde na justiça (empresa do governo, justiça do governo, manjou?)
    – empresa implanta o que ela quer
    – sindicato chora e diz que foi golpe e culpa o pessoal da área administrativa que não fez greve
    – empresa ri à toa porque no fim ela fez o que queria desde o início
    – empregados começam o desconto mensal do Correio Saúde/Postal Saúde
    – pais são excluídos do plano
    – outros dependentes pagam mais pelo plano
    – o representante dos empregados no conselho de administração faz textão lamentando o ocorrido, mas sem reconhecer que ele não tem poder legal para nada vezes coisa alguma
    – a ADCAP faz textão lamentando o ocorrido, mas sem reconhecer que ele não tem poder legal para nada vezes coisa alguma

    (esqueci de algo?)

    E assim caminha a ECT…

  9. Edemar disse:

    Infelismente só tem u ama solução para custiar o plano de saúde, sair do postal prev e desfliar do sindicato, assim equilibra o desconto, satisfeito jurídico da FENTECT e FINDECT.

  10. ATENDENTE SORRIDENTE disse:

    CAMBADAAAA, quando meu avô gritava essa palavra já sabíamos que ele estava muito bravo e o significado dessa palavra era tudo o que eu gostaria de escrever aqui mas por ética e educação deixo para a imaginação de cada um dos nossos Sindicalistas que diz nos representar.

  11. J.A.Gr disse:

    pelo que foi divulgado hoje 23/03/2018 vamos é pagar muito mais que que se tinha divulgado até agora a todos os funcionários dos correios . mudaram todos os percentuais de cobrança !!!!!!!!!

  12. Silva disse:

    Infelizmente vou sair do plano e tirar minha família.
    E quando precisar vou faltar do serviço sim, para pegar ficha em posto de saúde e depois fazer a consulta quando surgir vaga.
    Na minha opinião se vão cobrar que cobrasse uma mensalidade que coubesse no nossos bolsos, tipo:
    R$ 80,00 por mês. Mais uns 15% sobre consulta.
    Agora descontar todos mês 230 é complicado pois minha finança já está muito apertada e se tirar isso enrolo mais ainda.
    Triste situação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *