Dia da Consciência Negra é celebrado nos Correios

Referência como empresa pública na adoção de ações afirmativas para eliminar o racismo e incorporar efetivamente a igualdade racial e de gênero em suas questões sociais, os Correios celebram, nesta sexta-feira (20), o Dia da Consciência Negra.

Por meio do projeto “Correios Negro” – que envolve palestras, filmes, debates e oficinas para disseminar a cultura negra –, neste mês de novembro a empresa aborda o tema “Mulheres negras: direitos humanos e empoderamento”, dando continuidade ao processo de sensibilização sobre o tema e ampliando seu compromisso com a erradicação de quaisquer práticas discriminatórias no ambiente de trabalho.

Nos últimos anos a estatal tem adotado diversas iniciativas para disseminar a cultura da equidade de gênero e raça, bem como a promoção dos direitos humanos no ambiente corporativo, acompanhando, discutindo e colocando em prática essas temáticas no dia a dia de seus empregados. Entre as ações, destaque para a adesão ao Programa Pró-Equidade, em 2011, quando os Correios passaram a fortalecer a gestão orientada para a promoção da igualdade de oportunidades e a democratização das relações de trabalho entre mulheres e homens, negros e brancos.

Em 2013 e 2015, os Correios foram premiados com o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, por terem adotado práticas de igualdade de gênero e raça de forma sistemática, contribuindo para o alcance de bons resultados em termos de qualidade do ambiente de trabalho e produtividade.


Esta entrada foi publicada em Institucional e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

Uma resposta a Dia da Consciência Negra é celebrado nos Correios

  1. MACIEL CDD CORDEIRO disse:

    so falta uma maior sintonia entre a politica adotada pela empresa para promover a tal equidade e o real compromisso da chefias nos cdds e cees .nesses lugares a intolerância religiosa as injurias raciais e a homofobia são coisas corriqueiras tratadas como brincadeira sob a alegação de que se deve preservar o direito a liberdade de expressão dos funcionarios . o pior é quem combate o racismo e o preconceito passa a ser tratado como mal companheiro de trabalho e destruidor da harmonia .