Governo Federal aprova reajuste das tarifas postais

O Ministério da Fazenda publicou nesta quinta-feira (13), no Diário Oficial da União, a portaria nº 176/2017, que autoriza reajuste nas tarifas de serviços postais e telegráficos dos Correios. Para entrar em vigor, a medida ainda depende da publicação da portaria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

O reajuste médio será de 7,48% para serviços nacionais e internacionais. O primeiro porte da carta não comercial, por exemplo, terá seu valor atualizado de R$ 1,15 para R$ 1,25. No caso de telegrama nacional redigido pela internet, a nova tarifa é de R$ 7,60 por página – antes, a tarifa vigente era de R$ 7,07. A tarifa da Carta Social, destinada aos beneficiários do programa Bolsa Família, permanece inalterada, em R$ 0,01.

As novas tarifas não se aplicam ao segmento de encomendas (PAC e Sedex) e marketing direto. Vale lembrar que os serviços dos Correios são reajustados anualmente com base na recomposição dos custos repassados à estatal, como aumento dos preços dos combustíveis, contratos de aluguel, transportes, vigilância, limpeza e salários dos empregados.

ISP – As tarifas são atualizadas com base no Índice de Serviços Postais (ISP), indicador aplicado aos serviços operados no regime de monopólio pelos Correios. Ele é formado a partir de uma cesta de índices (INPC, IPCA, IPCA Saúde, IPCA Transportes e IGP-M), ponderada pela participação dos grupos de despesas da empresa.


Esta entrada foi publicada em Institucional. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

4 respostas a Governo Federal aprova reajuste das tarifas postais

  1. Weliton disse:

    Pela qualidade dos serviços que os Correios oferece, qualquer aumento é abusivo. O serviço é ruim, é caro, moroso e sem canal de reclamação. Demorar mais de 30 dias para entregar uma encomenda de Santa Catarina a Mato Grosso é eficiência???? Ao invés de ajudar, os Correios atrapalham bastante o comércio on-line, pois a maioria dos cancelamentos e reclamações são decorrentes do atraso na entrega. Está passando da hora de abrir o mercado

  2. Sesley Ferreira Nunes disse:

    Bom dia a todos, nunca fui contra a reajustes, mas já que o governo quer reajustar, tem que investir em mão de obra, eu falo pelo mato grosso, uma encomenda PAC aqui demora cerca de 60 dias para ser entregue, o Centro de Distribuição de Várzea Grande estava para por insalubridade, houve morte de um funcionário por contaminação de vezes de pombo. Então governo, não é só reajustar tarifas, tem que melhorar o serviço. Eis um exemplo PL170261028BR

  3. J.G. disse:

    mas ainda há muita tarifa reprimida pelos governos anteriores e desse também . e pior para as agencia é a falta de consideração no arredontamento da tarifas gerando valores dificeis de se trabalhar no dia a dia dos caixas .” vamos pensar tambem nas pessoas que trabalham diariamente . Por Favor “.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *