Serviços internacionais dos Correios são destaque no ENAEX 2017

As soluções logísticas dos Correios voltadas para a exportação foram alguns dos destaques da edição de 2017 do Encontro Nacional de Comércio Exterior (ENAEX), realizado esta semana no Rio de Janeiro. O evento, promovido pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) com o tema “Reduzir Custos para Exportar, Reindustrializar e Crescer”, busca melhorar a competitividade dos produtos nacionais e discutir as principais questões relativas ao setor, como: serviços, transportes, logística, financiamento, inovação, novos mercados, negociações internacionais, sistema aduaneiro, competitividade e sustentabilidade.

A abertura do evento, realizada nessa quarta-feira (9), contou com a presença do presidente da república Michel Temer, do presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, dos ministros Marcos Pereira, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e Maurício Quintella, dos Transportes, Portos e Aviação Civil, além de especialistas e empresários do ramo.

Os Correios, além de patrocinarem o ENAEX, montaram um estande no local, onde o público pôde obter informações sobre os serviços oferecidos pela empresa. O consultor em Comércio Exterior, Mário Carneiro da Silva, ministrou o workshop “Apoiando a Pequena Empresa a Exportar: Facilitando a Operação e a Logística”, enquanto o chefe de departamento de Encomendas e E-Commerce dos Correios, Lemuel Costa e Silva, participou do painel “Portos, Transportes e Logística: Contribuição para a Redução de Custos e a Retomada do Crescimento”.

Contextualizando a criação do Exporta Fácil e as vantagens competitivas do serviço em relação à concorrência, o consultor Mário apontou em seu workshop a necessidade de simplificação dos procedimentos aduaneiros do Brasil, com o objetivo de incrementar as exportações através da plataforma postal.Ele também apresentou as ferramentas para auxílio na exportação postal e para a entrega da encomenda no país de destino.

“Os três principais pilares do Exporta Fácil são a redução de custos na exportação, a simplicidade e a cobertura nacional. O frete é geralmente mais barato e não há cobrança de taxas adicionais, como sobretaxa de combustível, precificação cúbica ou cobrança pelo despacho aduaneiro de exportação, por exemplo”, explicou. Mário falou ainda que “se feito através dos serviços postais, o processo de desembaraço no destino fica mais simples e mais barato para o cliente”.

Já Lemuel destacou, em sua apresentação, os planos da empresa relacionados à redução de custos e retomada de crescimento das exportações. “Os Correios têm o desafio de ampliar sua capacidade de importação e exportação no que tange à consolidação da carga, porque, no aspecto nacional, a integração já existe. Seja por meio aéreo ou rodoviário, a empresa conta com uma malha completa, talvez uma das maiores da América Latina. Nosso grande desafio é levar pequenas e médias empresas à exportar de forma consolidada, com regularidade, frequência, baixo custo e qualidade da informação de ponta a ponta. Essa é a nossa agenda para este ano e para o ano que vem”, concluiu o chefe de departamento de Encomendas e E-Commerce dos Correios. 

Você sabia que você também é um importador?

Todo mundo que faz uma compra pela internet em sites fora do país – como os famosos e-commerces da China –, por exemplo, está fazendo uma importação. E, como importador – mesmo que eventual e em pequenas quantidades –, está sujeito às regras de importação do governo brasileiro. Para não passar por nenhuma surpresa, é importante conhecer quais são essas regras, os limites e também os serviços de entrega disponíveis.

Saiba mais informações sobre o assunto no site dos Correios.

 


Esta entrada foi publicada em Institucional, Negócios e Mercado. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

2 respostas a Serviços internacionais dos Correios são destaque no ENAEX 2017

  1. JORGE BORBA disse:

    Essa reorganização de preços que os Correios fizeram só fez o comercio ficar mais caro pelo custo de frete. Vi muitas mensagens no blog sobre o frete do ponto de vista dos vendedores. Quanto aos compradores, o que posso dizer é que antes compras que fazia de SP para o RJ levavam até 03 dias. Normalmente era o e-sedex. Hoje as mesmas empresas e pequenas lojas virtuais usam o maldito PAC. posso comentar minhas ultimas 5 compras: tive um extravio e nas demais o tempo entre as capitais vem sendo de mais de 10 dias!!! As vezes entre polos de distribuição dos correios na cidade um PAC leva três dias ou mais. Inclusive estou com um PAC que há três dias está em transito de Benfica para São Cristóvão, que são bairros que distam menos de 5 quilômetros. Agora vejo produtos do Mercado livre onde obtinha R$ 10 de frete e hoje os vendedores colocam R$ 20 a R$ 30. Querem que a economia melhore, mas como é que é possível isso. Compro dos EUA pagando Us$ 3 de frete e uma postagem do Nordeste custa R$ 37. Resultado: menos postagens, menos receita e a marca Correios fica menos importante para os brasileiros, exemplo de custo alto e mau serviço.

    • Correios disse:

      Jorge, assim como todas as empresas no mercado, os Correios traçaram as estratégias de atuação dos serviços por preço e por prazo, buscando melhor atender as necessidades dos clientes de maneira sustentável, em uma relação ganha-ganha. Os prazos do PAC são prazos já praticados pelo mercado de e-commerce. Quanto à comparação de preços entre objetos internacionais, é preciso verificar se essa comparação leva em conta a mesma modalidade de serviço, pois todos os correios do mundo possuem diversos tipos de serviço que variam em termos de preço, prazo e informação (rastreabilidade). Assim, cada tipo de serviço atende a uma gama diferenciada de necessidades dos clientes. Por exemplo, remessas com baixo custo têm prazos mais dilatados de entrega e menos informações. Muitos sites de e-commerce internacionais preferem essas remessas econômicas. Por isso, não se pode comparar o preço de um PAC ou de um SEDEX com esse tipo de serviço internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *