EMISSÃO SIGNOS DO ZODÍACO: TOURO

Taurus, o Touro, é uma constelação do Zodíaco. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Tauri.

 

A constelação de Touro é uma das mais facilmente identificáveis no céu, por um conjunto de estrelas muito brilhantes designado por ‘sete irmãs’. Há, ainda, outros elementos como a estrela Aldebarã, ou “olho de touro”, as “Híades” e a nebulosa do Caranguejo. Caso queira saber rapidamente onde está a Constelação de Touro, basta procurar pelas “três marias” (Cinturão de Orion), olhar em linha reta em direção à esquerda (do ponto de vista do hemisfério sul) e procurar por uma estrela laranja, bem brilhante. A própria forma da constelação de Touro é inconfundível, pois tem o formato aproximado de um “Y”. Na verdade, os dois chifres do touro correspondem às linhas paralelas superiores deste “Y”. O aglomerado das “Híades” corresponde à cabeça do touro (estando Aldebarã localizada onde estaria um dos olhos do Touro) e as “Plêiades” localizadas na região do corpo desse touro.

A melhor época do ano para observar esta constelação é no verão, quando ela mais se destaca no céu, nascendo a leste, por volta de 18 horas, e estando visível praticamente a noite toda.

No mito grego, o Touro representa o animal em que Zeus se transformou para seduzir Europa, uma princesa fenícia. A representação é formada apenas pela cabeça, ombros e membros anteriores do bovino. As estrelas são representadas como um touro em posição de ataque, com os chifres abaixados.

Já na mitologia egípcia, o Touro Ápis é uma personificação da própria Terra. Era uma deidade relacionada à agricultura e ao trabalho. Sendo assim, a constelação de Touro era fortemente associada ao deus Osíris e também à sua esposa, Isis.  No Egito antigo, a visualização dos dois aglomerados de estrelas da constelação do Touro, as Híades e as Plêiades, eram associadas à chegada das chuvas e ao início dos trabalhos na lavoura.

Na astrologia, a simbologia dos signos do elemento terra (Touro, Virgem e Capricórnio) está associado à nossa capacidade e necessidade de lidar com o mundo material. Consequentemente, também representa o mundo do ter.

O segundo signo do Zodíaco, Touro, nos ensina que para sobreviver é preciso comer, utilizar os cinco sentidos, ter os pés no chão, transformar a força criativa em realização, ganhar dinheiro e compreender o valor de si mesmo e das coisas.

É também o signo associado aos cinco sentidos, à arte, à apreciação pela boa comida e aos prazeres, retratando que, enquanto humanos, devemos dar valor ao que nos sustenta, alimenta e dá prazer. A figura do touro evoca símbolos de fertilidade, sexualidade, poder, liderança, proteção e potência.

A natureza taurina ensina que o sagrado também está na matéria que nos permite sobreviver, nos sustentar e ampliar a nossa marca material no mundo. A simples existência de Touro no Zodíaco (o mapa do universo) é um retrato claro de que a lógica da miséria está equivocada, pois o sustento e os prazeres também são sagrados. O que não é sagrado é deixar-se dominar por eles ou se perder na armadilha do apego.

SOBRE O SELO

Essa emissão é a segunda de uma série de 12, que juntas comporão uma mandala zodiacal. A arte do selo apresenta elementos que simbolizam o signo de Touro. No quadrante superior esquerdo encontra-se o ícone do Signo, sobre fundo cinza.  Simboliza a cabeça e os chifres de um touro, imagem que tem origem nas estrelas que formam a Constelação de mesmo nome. Duas faixas na cor cinza delimitam o espaço entre o ícone e o nome do signo, grafado em letras de cor preta, tendo abaixo o intervalo de tempo governado pelo signo de Touro. Abaixo, uma faixa de cor ocre representa o elemento “terra”, um dos regentes da natureza que caracterizam a personalidade dos nascidos nesse signo. No quadrante inferior esquerdo está presente um esquema das principais estrelas que formam a Constelação de Touro:  Aldebaran (Alpha Tauri) é a estrela mais brilhante desse agrupamento. É conhecida popularmente como o “olho do touro”, pois sua localização na imagem sugerida para a constelação ocupa a posição do olho esquerdo do Touro mítico. Abaixo, as Híades, um aglomerado em forma de “V” que dá forma ao contorno da face do Touro. A palavra Híades significa literalmente água ou chuva, pois quando surgia no horizonte indicava o início do período chuvoso.  No quadrante direito inferior, a imagem de um touro (taurus em latim) que dá nome à Constelação ligada ao signo. Foram utilizadas as técnicas de desenho vetorial e computação gráfica.

Publicado em Programação Filatélica 2019 | Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *