Pela primeira vez Sistema Solar é retratado em selos brasileiros

Os Correios colocaram em circulação neste sábado (29) bloco de selos com o tema “Sistema Solar”. A data foi escolhida em razão de 2020 ser um ano bissexto, ou seja, tem 366 dias (o 29 de fevereiro a mais, excepcionalmente). O fenômeno, que ocorre, de quatro em quatro anos, acontece pela quingentésima quarta (504ª) vez em 2020. Os eventos de lançamento em Brasília e no Rio de Janeiro serão divulgados em breve.

Esta é a primeira vez que a filatelia brasileira retrata o Sistema Solar. Por meio desta emissão, os Correios esperam contribuir para divulgar amplamente o conhecimento sobre este assunto de grande importância para o mundo científico e para toda a humanidade.

Sobre o selo

A emissão Sistema Solar é composta por uma folha com nove selos representando o espaço sideral, com muitas estrelas, nebulosas coloridas ao fundo e o nosso sistema em primeiro plano. O valor de cada selo varia de R$ 0,20 a R$ 2,25, totalizando R$ 12,25. A tiragem é de 450 mil selos.

O desenho dos planetas, suas cores e texturas foram criados com base em referências da Nasa. À esquerda aparece o Sol e, em sequência, respeitando a ordem das órbitas dos planetas, aparecem Mercúrio, Vênus, Terra e Lua, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Na criação do bloco, o designer Meik utilizou a técnica de arte digital. Já no processo de impressão o diferencial ficou por conta do verniz localizado aplicado sobre as órbitas dos planetas.

Os selos podem ser adquiridos nas principais agências dos Correios, na loja virtual (www.correios.com.br/correiosonline) ou na Agência de Vendas a Distância – Av. Presidente Vargas, 3.077 – 23º andar, 20210-973 – Rio de Janeiro/RJ – telefones: (21) 2503-8095/8096; e-mail: centralvendas@correios.com.br.

Sistema Solar

O Sistema Solar, que se estima tenha 4,6 bilhões de anos, originou-se a partir de uma nuvem molecular que entrou em colapso e formou o Sol, com um disco remanescente em volta a partir do qual se geraram os demais corpos. Sua estrutura tem sido objeto de estudo desde a antiguidade, mas apenas no século XVI foi reconhecido que o Sol, e não a Terra, está no centro.

Desde então, a evolução dos equipamentos de pesquisa astronômica tem possibilitado uma melhor compreensão da origem e evolução do nosso sistema, que é constituído pelo Sol e todos os corpos celestes que o orbitam, seja em forma direta, como os planetas e outros corpos menores, ou em forma indireta, como os satélites naturais. Trata-se de um sistema dinâmico em que os corpos estão continuamente interagindo entre si, principalmente através da força da gravidade.

Hoje em dia, o Sol e todos os planetas têm sido visitados por pelo menos uma sonda espacial, seja orbitando-os ou descendo na sua atmosfera ou superfície. Vênus e Marte são os que detêm o recorde de visitas. Sondas também têm visitado alguns satélites, particularmente a Lua, com mais de 70 missões acumuladas, além de 2 planetas anões, 15 asteroides e 8 cometas. A exploração espacial tem permitido obter detalhes sem precedentes, através de imagens e dados com uma precisão nunca antes alcançada.

Publicado em Filatelia, Programação Filatélica 2019, Programação Filatélica 2020 | 3 comentários
  1. Bom dia queridos colaboradores do Correios – Filatelistas!

    Amei esse bloco do Sistema Solar, lindo e maravilhoso.

    Gostaria adquirí-lo, é possível? – Em caso afirmativo, como devo proceder?

    Abraço fraterno a todos.

    Att.

    • Saadia Ribeiro Macedo Alves disse:

      Jorge Luiz, bom dia!
      O senhor poderá adquirir por meio da nossa loja online ou nas principais agências, no blog informamos quais agências possuem guichê filatélico.

  2. Nossa bloco lindo que vcs lançaram, parabéns aos correios pela bela série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *