Centenário do Nascimento de Clarice Lispector

Arte: Mariana Valente

Os Correios lançam virtualmente, hoje, emissão postal em homenagem ao centenário da escritora Clarice Lispector, nos canais oficiais dos Correios nas redes sociais.

A arte do selo é da neta de Lispector, Mariana Valente, que construiu toda a ilustração com retalhos de cartas, páginas de livro antigos e envelopes que encontrou da própria Clarice como forma de homenageá-la e também sua paixão por correspondências. “Somos de diferentes épocas, mas compartilhamos desse íntimo prazer pelo analógico. Eu coleciono selos, postais e cartas antigas, que utilizo em minhas colagens há muitos anos, e ter tido a oportunidade de desenvolver algo que gosto tanto com total liberdade foi maravilhoso”, explica a artista.

A emissão tem tiragem de 900 mil selos, com valor de R$ 2,05 a unidade, e estará disponível nas principais agências de todo o país e também na loja virtual dos Correios.

Nascida na Ucrânia, Clarisse Lispector veio com a família – pai, mãe e duas irmãs – para o Brasil com pouco mais de um ano de idade. Viveu em Pernambuco até os 14, quando foi para o Rio de Janeiro, onde anos mais tarde se formou em Direito, pela Universidade do Brasil, e conheceu o diplomata Maury Gurgel Valente, com quem se casou.

Sua estreia como escritora foi com “Perto do Coração Selvagem” (1943), porta de entrada o mundo da literatura. Segundo a biógrafa Teresa Montero, Clarice escreveu dezessete livros entre romances, contos, crônicas e histórias infantis que já alcançaram cerca de quarenta países e lhe alçaram ao patamar de uma das maiores escritoras do século XX.

A escritora assinou textos em veículos de imprensa como Agência Nacional, jornal A Noite, Jornal do Brasil, Última Hora e Correio do Povo. Também escreveu em páginas femininas sob pseudônimo em Comício, Correio da Manhã e Diário da Noite. Alcançou, ainda, grande popularidade como entrevistadora na Manchete e Fatos & Fotos.

Acompanhando o marido, Clarisse esteve na Itália, Suíça, Inglaterra e Estados Unidos, sempre se correspondendo com entes queridos. Finalmente, em julho de 1959, aos trinta e nove anos de idade, ela se fixou no Leme – até seu falecimento em 9 de dezembro de 1977.

Seu estilo inconfundível produziu obras que se tornaram clássicos como A Maçã no Escuro, Laços de Família, A Paixão Segundo G.H, Água Viva e A Hora da Estrela.

Publicado em Filatelia, Programação Filatélica 2019 | 5 comentários
  1. Marco Antonio Valente Jorge disse:

    Gostaria de aproveitar esse espaço para fazer um pedido. Vocês precisam abrir uma agência filatélica aqui na zona oeste. Olhe meu exemplo: Moro em Campo Grande. Se quiser adquirir este selo, terei que viajar 40 quilômetros até a Agência da Rua 1º de Março, no Centro. Na loja on-line não encontramos todos os selos que gostaríamos. Pensem nisso. Tenho certeza que a quantidade de vendas, não só de selos, aumentaria. Obrigado.

    • Saadia Ribeiro Macedo Alves disse:

      Prezado Senhor Marco Antônio,
      Agradecemos o apreço a filatelia e encaminharemos sua sugestão a área responsável. Continue acompanhando as novidades da Filatelia em nosso blog.
      Saudações filatélicas.

  2. Marco Antonio Valente Jorge disse:

    Linda homenagem. Belo trabalho artístico. Parabéns. Aproveito a oportunidade para dizer que quem estiver interessado em trocar selos nacionais comigo é só falar pelo e-mail mavalentejorge@gmail.com. Abraço.

  3. JOSÉ EDUARDO DE LIMA disse:

    Maravilhosa esta emissão.
    Está de parabéns a Mariana Valente pela originalidade do desenho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *