Centenário da 1ª medalha de ouro do Brasil em Jogos Olímpicos

Em 1920, o Brasil fez sua estreia em Jogos Olímpicos, na Antuérpia, Bélgica, vinte e quatro anos após a primeira edição da competição na Era Moderna. Naquele ano, o esporte brasileiro obteve expressivas conquistas, eternizando alguns brasileiros na história do esporte nacional e mundial.

O primeiro ouro olímpico brasileiro foi conquistado pelo Tenente Guilherme Paraense, na prova da pistola rápida, conseguiu duzentos e setenta e quatro pontos dos trezentos possíveis, vencendo o campeão mundial, o norte-americano Raymond Bracken por dois pontos. O primeiro lugar só foi decidido no último alvo, o qual Paraense acertou “na mosca”, enquanto Bracken falhou.

Emissão Postal Comemorativa| Centenário da 1ª medalha de ouro do Brasil em Jogos Olímpicos – Folha com 16 selos

Guilherme nasceu em Belém do Pará, no dia 25 de junho de 1884. Aos cinco anos de idade, foi morar na cidade do Rio de Janeiro e, posteriormente, frequentou a Escola Militar de Realengo, entrando de vez para carreira militar na Escola Militar da Praia Vermelha, sendo, em 1912, já com vinte e oito anos de idade, declarado aspirante a oficial.

Além do ouro olímpico, Paraense colecionou outros títulos: hexacampeão dos campeonatos brasileiros de 1913, 1914, 1915, 1918, 1922 e 1927. Participou da Revolução de 1930 e, em 1941, chegou ao posto de Tenente-Coronel, transferindo-se em seguida para a reserva remunerada.

Ao longo do último século, foram inúmeras as homenagens ao nosso primeiro medalhista de ouro olímpico. Dentre as quais destacam-se: a inauguração, em 5 de maio de 1989, do Polígono de Tiro Tenente Guilherme Paraense, nome dado ao conjunto de estandes de tiro da Academia Militar das Agulhas Negras; e selos nacionais confeccionados em sua homenagem para os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.

XXV Jogos Olípicos de Barcelona 1992

Em 2007, com a construção do Centro Nacional de Tiro Esportivo para atender aos Jogos Panamericanos, o Exército mais uma vez o homenageou, batizando a instalação com seu nome e último posto: Centro Nacional de Tiro Esportivo Tenente-Coronel Guilherme Paraense. Nos anos de 2013 e de 2014, o revólver usado por Paraense na conquista do ouro olímpico foi apresentado na exposição interativa do Comitê Olímpico Brasileiro.

Guilherme Paraense morreu aos oitenta e três anos, no dia 18 de abril de 1968, sendo, ainda, o único competidor brasileiro a ter ganho uma medalha de ouro no tiro esportivo em Olimpíadas.

Lembramos que no mês de fevereiro lançamos o Selo Personalizado 100 Anos de Brasil nas Olimpíadas, na imagem, destaque para o Tenente Guilherme Paraense.

Selo Comemorativo e o Selo Personalizado estão disponíveis na Loja Virtual dos Correios.

Fonte: Portaria Normativa Nº 79/GM-MD, de 11 de setembro de 2019

RETIFICAÇÃO: No edital impresso e distribuído, consta que a tiragem é de 640.000 selos, porém, a tiragem correta é de 960.000 selos. Esta informação também será registrada na próxima edição da Revista COFI.

Publicado em Programação Filatélica 2019 | Deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *