Emissão Postal Especial Xadrez

texto por Sidnei Bissacot Coutinho

O Xadrez é um envolvente jogo de tabuleiro que se destaca pela beleza de suas peças e pelo dinamismo de seus movimentos cujo objetivo é dar xeque-mate ao Rei adversário.

Com origem na Índia* do século VI, seja como um passatempo lúdico ou para competição, este jogo silencioso está longe de ter o tédio no vocabulário enxadrístico.

No campo da brincadeira, entre os iniciantes, por exemplo, desperta a curiosidade sobre o que um pulo de Cavalo e suas ameaças podem abalar a estrutura do adversário. Às vezes, pela incerteza do resultado ou pela falta de um cálculo mais apurado, um simples lance de Peão é motivo de insegurança para travar os cotovelos na mesa e as mãos na cabeça. Nessa brincadeira, há ainda espaço para fintas como fazer um lance ameaçando determinada peça na ala direita do tabuleiro e olhar fixamente para o outro lado, assim como faz Ronaldinho Gaúcho que, antes de passar a bola para um lado, virava a cabeça para o outro.

No Xadrez competitivo, por sua vez, não há espaço para movimentos curiosos, imprecisão no cálculo ou fintas de cabeça. Predominam a preparação pré-jogo com profundos estudos sobre estratégia e tática nas diferentes fases de uma partida de Xadrez: Abertura, Meio-jogo e Final.

Ok! Mas, quem não sabe jogar a Arte de Caissa, o que pensa? Esses, quando passam diante de uma mesa onde duas pessoas estão a jogar, falam consigo: “Hum, interessante!” ou “Eu sempre quis aprender a jogar Xadrez!”.

A boa notícia é que para brincar de Xadrez, bastam 15 minutos para aprender o movimento das peças e já partir para o jogo. Em resumo:

Peão só anda para frente. A partir da sua casa de origem pode saltar 1 ou 2 casas. Depois de movimentado, só anda 1 casa. Chegando à 8a, é promovido a qualquer outra peça, a exceção do Rei;

O Cavalo anda em L: 2 casas na vertical e 1 para o lado ou 2 casas na horizontal e 1 para o lado;

O Bispo se movimenta em diagonal a quantas casas quiser;

A Torre percorre as colunas e as linhas, ou seja, na vertical e na horizontal;

A Dama é a soma dos movimentos do Bispo e da Torre;

O Rei, por sua vez, tem os movimentos iguais ao da Dama, limitado, porém, a apenas 1 casa;

A captura é feita ocupando a casa da peça do adversário e retirando-a do tabuleiro. O Peão captura em diagonal;

Há outros 2 movimentos especiais a saber: o Roque, realizado entre o Rei e uma das Torres, e o en pasant, realizado pelo Peão na 5a casa;

O objetivo do jogo é dar Xeque-mate ao Rei inimigo.

A prática frequente irá desenvolver naturalmente a habilidade do cálculo e a percepção dos caminhos que levam à vitória.

No entanto, quando as derrotas se tornarem incomodamente frequentes, eis o momento em que suas habilidades somente serão desenvolvidas por meio do melhoramento técnico com apoio da imensa literatura disponível sobre Xadrez e, atualmente, com os softwares de análise e das bases de partidas constantes dos bancos de dados.

O importante a saber é que o Xadrez reúne numerosos valores como arte, cultura, cálculo, estratégia, paciência, entretenimento, trabalho, inteligência e uma ginástica para o cérebro.

O Xadrez na Filatelia

Em 1980, época em que os clubes de xadrez tinham papel relevante na prática do Xadrez e no desenvolvimento de talentos, o correio brasileiro lançava a sua 1a emissão de selo denominada Xadrez Postal, aliás a primeira e única no mundo, até hoje, a homenagear essa modalidade de Xadrez.

Selo do Brasil, 1980. Xadrez Postal

A Filatelia e o Xadrez tem muitos aspectos em comum: ambos exigem dedicação, pesquisa e estudo. Assim como os selos são objeto de coleção também há quem colecione peças de xadrez (de plástico, de madeira, de metal, de cristal ou temático como figuras medievais, personagens em quadrinhos, da saga Star Wars, dos índios Incas e até mesmo da nossa História regional do Cangaço tendo Lampião como Rei e Maria Bonita como Dama).

Na Filatelia mundial, o Xadrez é um tema bastante apreciado pelos colecionadores e as administrações postais costumam celebrar por meio da emissão de Selos Postais, Envelopes de Primeiro Dia de Circulação e de Cartões Postais os seguintes aspectos desse esporte.

As Peças de Xadrez

É o mais frequente das emissões. Geralmente, essas emissões buscam estimular a prática do esporte dados os seus benefícios como:

  • A socialização;
  • Ferramenta pedagógica nas escolas
  • Desenvolvimento da concentração;
  • Desenvolvimento da capacidade para resolução de problemas;
  • Estímulo à imaginação;
  • Saber como lidar com a derrota;
  • Saber respeitar o adversário.
Bloco da Espanha, 2018. Lazer e hobbies. Os Peões foram impressos com tinta termocromática. As peças mudam de cor ao passar o dedo sobre elas.

Selos da Nicarágua, 1983. Movimento das Peças.

Cartão Postal “Chess at Chapelfield Gardens Norwich Norfolk”

Os Torneios

Os grandes eventos são bastante aguardados pela comunidade enxadrística porque reúnem os melhores jogadores e a emissão de um selo postal alusivo à competição realça o prestígio do torneio.

Selo do Uruguai, 2017. Campeonato Mundial da Juventude de Xadrez
FDC do Quirguistão, 2018. Olimpíadas de Batumi, na Georgia.

A Filatelia é ferramenta importante tanto na divulgação do torneio como registro histórico a eternizar o encontro dos Grandes Mestres Internacionais (GMI).

Selos de Gibraltar, 2012. Festival Internacional de Xadrez.

Os Matches pelo título mundial

Sem dúvida o momento mais aguardado pelos amantes do Xadrez é a disputa pela coroa do título mundial. No passado, onde o Xadrez tem mais tradição, as partidas recebiam cobertura televisiva e no dia seguinte as partidas eram publicadas nos jornais de grande circulação relatando fatos pitorescos e, não podia faltar, a reprodução da partida com as análises de Grandes Mestres convidados.

Selo das Filipinas, 1978. Disputa pelo Título Mundial entre Anatoly Karpov e Victor Korchnoi.

Selo da URSS, 1984. Disputa do Título Mundial entre Anatoly Karpov e Gary Kasparov.

E aqui o destaque é todo para o match entre o soviético Campeão Mundial Boris Spassky e o desafiante americano Bobby Fischer, em 1972 , na Islândia.

A decisão transcendia os tabuleiros, pois, em plena Guerra Fria, os governos da União Soviética e dos Estados Unidos utilizaram o Xadrez como ferramenta de propaganda de seus modelos econômicos, sociais e culturais.

Selo da Islândia, 1972. Disputa pelo Título Mundial entre Boris Spassky e Robert James “Bobby” Fischer.

Os jogadores de Xadrez

Os campeões mundiais são as figuras mais reverenciadas na Filatelia. Não sem motivo, para chegar ao topo, esses enxadristas dedicaram suas vidas a uma rigorosa rotina de preparação psicológica e de estudos.

Selo da República Tcheca, 1996. Homenagem à primeira Campeã Mundial de Xadrez Feminino, Vera Menchik.
Bloco da Holanda, 2001. Homenagem ao Campeão Mundial Max Euwe.
Selo da Noruega, 2014. Homenagem ao Campeão Mundial Magnus Carlsen.

No entanto, várias administrações postais homenageiam e reconhecem seus ídolos do Xadrez por sua contribuição no esporte, mesmo não sendo um Campeão Mundial.

Selo da Armênia, 2010. Homenagem a Henrik Kasparyan.

A Armênia, ainda, a despeito de ser um pequeno país na Ásia e enfrentar dificuldades econômicas, resultado de conflitos bélicos na região, é gigante no Xadrez Mundial. Tem o maior número de Mestres Internacionais per capita do mundo. Desde 2011, o Xadrez é disciplina curricular obrigatória nas escolas públicas.

Todo esse sucesso resulta também numa rica emissão filatélica sobre o tema Xadrez passando por homenagens desde o Campeão Mundial Tigran Petrossian (1963) até a sua brilhante equipe tri-campeã olímpica (2006, 2008 e 2012).

Emissão Xadrez no Brasil

Emissão Especial Xadrez – Brasil 2020

Por meio desta emissão postal, Xadrez no Brasil, os Correios buscam homenagear um dos esportes mais praticados no mundo e que teve grande popularidade no país nos anos 70, do século passado, em vista dos grandes feitos do Enxadrista brasileiro Henrique da Costa Mecking, o Mequinho, que figurou entre os 3 melhores jogadores do mundo.

Se a nossa 1a emissão de 1980, destacava o Xadrez Postal, cujas partidas levavam cerca de um ano para serem concluídas, a presente emissão, 40 anos depois, é marcada por partidas on-line, onde o jogo pode ser disputado até mesmo em 2 minutos.

Então, ficou curioso em aprender a jogar Xadrez? Além das escolas e dos clubes, você pode facilmente fazer uma busca na internet: “Como Jogar Xadrez”. Não deixe para depois: dê seus primeiros passos, ou melhor, faça seus primeiros movimentos nesse jogo fascinante.

E que tal um novo hobby ou abrir um novo tema na sua coleção? Comece a montar a sua coleção temática sobre Xadrez com selos de vários países, envelopes FDC (Primeiro Dia de Circulação) e cartões postais. Não tem como não se apaixonar!

* A origem do xadrez tem diversas versões, pode-se encontrar nas pesquisas que foi criado pelos chineses, ou pelos persas ou pelos gregos.

Publicado em Programação Filatélica 2020 | 3 comentários
  1. António Mendes Curado disse:

    Parabéns pela “mostra” da coleção sobre xadrez. Gostei muito.
    Também sou aficionado e colecionador do tema.

  2. O Brasil lançou duas séries de xadrez: uma em 1980 chamada Postal Chess com um selo e uma Block Sheet com 12 selos neste mês de dezembro de 2020.
    Carimbos: No que se refere a este jogo nobre xadrez, ele tem 30 carimbos circulados, o primeiro foi em Bautu de 20/10/1956 para os XXI Jogos Abertos do interior de 20 a 28 de Out 1956, o penúltimo foi Guarapuava-PR. Campeonato Mundial de Xadrez, datado de 30.11.1995 e o último o recente datado de 15.12.2020 Rio de Janeiro – RJ.
    Remi Ferre – España.

  3. JÚLIO CESAR FABRO disse:

    Talvez a mais bela emissão de 2020. Muito clean e equilibrada. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *