A História da Viticultura Brasileira.

Texto: Christina Habli Brandão Dutra

Motivo selecionado na 117ª Comissão Filatélica Nacional, a Emissão Postal Especial Viticultura lhe convida a entrar no universo dessa ciência que estuda o cultivo da uva para consumo in natura, produção de suco, uva passa e também do vinho. Neste lançamento sensorial, o tato, o olfato e a visão são explorados rumo a uma experiência com o relevo da impressão em calcografia, o aroma de uvas e as imagens de cinco uvas produzidas no Brasil: Moscato Embrapa, BRS Lorena, BRS Vitória, BRS Magna e BRS Margot.

As peças postais contêm, além da imagens das uvas, elementos que revelem toda a cadeia produtiva da fruta, como plantio, colheita, produção de sucos e vinho. Na parte inferior da folha, há ainda uma vinheta que mostra os produtos derivados da uva. Com arte de Daniel Effi e Camila Sena Hott, a folha é composta por 15 selos e está disponível para venda na Loja Virtual, mais informações sobre o selo aqui no Blog da Filatelia.

Emissão Especial Viticultura

Confira a seguir um pouco da história dessa ciência no Brasil pelo olhar de Reinaldo Basile Jr, filatelista e colecionador do tema.

A história da viticultura brasileira remonta os anos de 1500, quando Braz Cubas plantou as primeiras mudas de uva vindas da Europa, tornando-se o primeiro viticultor do Brasil.

Outros estados, naquela época, como Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina começaram a plantar estas mesmas mudas. No início, as uvas plantadas eram de castas de mesa americanas como a Isabel, Rubi, Tompson, entre outras, que se adaptaram muito bem nas terras brasileiras e predominam até hoje.

A uva é uma das frutas mais exportadas e, também, uma das mais importadas pelo Brasil. Uvas chilenas, americanas, argentinas têm no Brasil um mercado cada vez maior.

Já no Rio Grande do Sul, a viticultura brasileira se desenvolveu e apresentou melhores resultados. O grande apogeu surgiu com a colonização italiana na Serra Gaúcha, em vilas que hoje formam as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi, Caxias do Sul, Flores, Farroupillha e outras que constituem o centro da indústria vinícola brasileira. Muito por conta de seu clima, que se mostrou excelente para a produção de grandes espumantes. Alguns premiados internacionalmente.

Nos anos 30, iniciou a reintrodução das cepas (Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Moscatel, Sauvignon Blanc, entre outras) no estado do Rio Grande do Sul, a qual resultou em um grande do crescimento do vinho no Brasil, concatenada com a chegada de multinacionais na região. Alguns anos mais tarde, no Vale do São Francisco, nos estados da Bahia e Pernambuco, surgiu uma nova região vinícola no Brasil.

Atualmente, somos o terceiro maior produtor de vinhos da América do Sul. Mais de 50% dos hectares plantados destinam-se a produção de vinhos e a outra metade uva de mesa. As cepas europeias clássicas fazem 20% de toda nossa produção.

Pela primeira vez os Correios emitem esta bela série de 5 selos postais alusivos à Viticultura no Brasil através de um linda folha, perfazendo um total de 15 belas peças filatélicas, ao qual levará o usuário a ingressar nesta maravilhosa história, no mundo da produção de uvas e dos vinhos no nosso País.

Parabéns aos Correios por mais esta espetacular iniciativa.

Reinaldo Basile Júnior

Publicado em Programação Filatélica 2020 | 1 comentário
  1. Fantástica a ideia de aromatizar o selo. Experiência sensorial aliada a imagem. Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *