Plano de Saúde

Em cumprimento à decisão do TST que alterou a forma de custeio do plano de saúde dos empregados dos Correios, a empresa e a Postal Saúde estão adotando as medidas necessárias para adequar o benefício às mudanças estabelecidas. É importante dizer que não haverá alteração na cobertura hoje existente, apenas na forma de custeio.

Aqueles que desejarem sair do plano ou excluir dependentes poderão fazê-lo e terão um prazo para se manifestar. Para ajudar nessa decisão, a empresa irá disponibilizar, nos próximos dias, um simulador para que os empregados possam calcular quanto pagarão de mensalidade.

Para esclarecer as dúvidas a empresa vai abrir, oportunamente, um canal de atendimento e divulgar uma lista com respostas às perguntas mais frequentes.

Entenda as mudanças do custeio

Pais e mães permanecerão no plano, sem pagamento de mensalidade, até 31 de julho de 2019, mantendo a atual forma de coparticipação. Aqueles que estiverem em tratamento médico/hospitalar permanecerão no plano até a alta médica. A partir de 1º de agosto de 2019, pais e mães poderão aderir a um plano alternativo que será criado.

A mensalidade do titular vai variar de 2,5% até 4,4% da remuneração do empregado, nos percentuais que podem ser vistos clicando AQUI.

Também foi estabelecido um teto para a cobrança da mensalidade do titular, de acordo com a idade do empregado. Clique AQUI e veja as faixas de cobrança.

A mensalidade de filhos será correspondente a 35% da mensalidade do titular, e a do cônjuge será de 60%.

Coparticipação

As despesas com consultas, exames e demais procedimentos serão arcadas em 30% pelos empregados e em 70% pela empresa. Para o empregado ativo, o teto máximo para a cobrança de copartipação será de duas vezes o valor da remuneração.

Para os empregados aposentados, o teto será de três vezes o valor da soma do benefício recebido do INSS e da suplementação concedida pelo Postalis. O desconto da coparticipação será mensal e limitado a 5% da remuneração líquida do titular, excluída a margem consignável, em sucessivas parcelas até a liquidação do débito.

Não haverá cobrança de coparticipação para casos de internação, tanto de empregados ativos quanto de aposentados.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

27 respostas a Plano de Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *