Termos de Acordo ampliam benefícios dos empregados

Mais três Termos de Acordo foram assinados na última reunião da Mesa Nacional de Negociação Permanente – MNNP-Correios, realizada nos dias 25 e 26 de fevereiro, em Brasília:

Termo de Acordo ampliando o prazo para apresentação de atestado médico/odontológico para os afastamentos de até quinze dias, ou seja, o trabalhador agora tem quatro dias úteis em vez de 48 horas;

Termo de Acordo que inclui os “curatelados” no rol de beneficiários da Cláusula 13 – Auxílio para Dependentes com Deficiência;

Termo de Acordo que prevê a instalação de Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA em unidades/prédios da ECT com efetivo superior a 30 empregados que ainda não a possuam.

A Mesa Nacional de Negociação Permanente representa o espaço onde representantes dos trabalhadores e empresa debatem e chegam a consenso quanto às relações de trabalho, sendo também um instrumento de gestão estratégica capaz de intervir positivamente na eficiência e qualidade dos serviços prestados à sociedade.

Dessa forma, a ECT reitera o convite para que as demais representações venham tomar assento na MNNP-Correios e que nesse espaço democrático venham tratar dos assuntos e pautas de interesse dos trabalhadores ecetistas.

O próximo encontro irá ocorrer nos dias 10 e 11 de março, em Brasília.

Esta entrada foi publicada em Negociação Permanente e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

31 respostas a Termos de Acordo ampliam benefícios dos empregados

  1. Paulo disse:

    Deixo aqui algumas sugestões para os representantes da ECT e Sindicatos:

    1ª Proposta de incremento no Plano de Cargos e Salários:

    Adicional de Titularidade, como ocorre em diversas empresas como forma de valorizar e estimular o desenvolvimento dos funcionários.

    Adicional de Titularidade – valor mensal de caráter não cumulativo, correspondente a 7,5% (sete e meio por cento), 15% (quinze por cento) ou 30% (trinta por cento) do salário-base, concedidos aos detentores de pós-graduação “Lato Sensu”, Mestrado e Doutorado, respectivamente, que estejam enquadrados em cargos de provimento efetivos cujo requisito de escolaridade seja o curso superior.

    2ª Extinção da participação financeira (desconto) que pagamos pelo Ticket e pelo Vale Cesta.

    Conforme consta no Parágrafo 1º da Cláusula 61 do Acordo Coletivo: “Os benefícios referidos no caput terão a participação finaceira dos empregados…”

    Sei que isso foi acordado entre a empresa e a FENTEC, mas podemos negociar para mudar isso.

    Em outras empresas e órgão públicos, não há esse desconto.

    3ª Igualdade no compartilhamento das despesas do Correios Saúde

    Não é justo existirem percentuais diferente no compartilhamento das despesas do Postal Saúde, já que os funcionários, sejam eles de nível médio ou superior tem acesso aos mesmos médicos , serviços e exames. Considero isso até ilegal, devendo até ser questionado na justiça.
    Sei que isso foi acordado entre a empresa e a FENTEC, mas podemos negociar para mudar isso. Caso não seja mudado através de negociação, cabe uma ação na justiça, já que não se pode cobrar valores diferentes por serviços iguais.

    • Aline Campos disse:

      Apoio totalmente a proposta do Paulo…o reconhecimento de títulos já é realidade em diversos órgãos públicos e é um dispositivo institucional que busca reter talentos em seus quadros, para assim minimizar o rotatividade do corpo funcional, visto que são vários os concursos públicos com oferta salarial mais atraente.

  2. ASTUTO disse:

    É preciso ver com bons olhos as conquistas nas mesas de negocições, pequenos porém constantes avanços como este fazem um somatório muito grande ao final de um ano, vários assuntos que são somente levantados no período de negociação salarial em Agosto são deixados de lado para focar no principal que é o salário.
    Isto precisa urgentemente ser feito por todos os sindicatos, sentar a mesa com a empresa e levar suas necessidades, aqueles que apoiam cegamente a Fentect em vez de entrar na justiça para exigir estes direitos, precisam repensar suas atitudes e começar a pedir a empresa que uma vez na mesa extenda os benefícios conquistados pelos outros a eles.
    Mesmo porque a justiça já deu ganho aos Correios, já que uma parte dos sindicatos concordam com a mesa, também foram oficialmente convidados, mas a POLÍTICA como sempre vem a frente dos interesses dos empregados.
    Aí me pergunto aos colegas que ainda brigam por uma greve sem causa, já que não houve “ainda” mudanças, está valendo a pena continuar nesta luta e perder tudo que já foi conquistado pelos demais, não é uma atitude no mínimo irresponsável que esta penalizando todos os representados que deixam de desfrutar destes direitos.
    Avaliem muito bem, em que lado estão lutando, talvez só vão perceber quando a perda for irreversível.

    • SUS disse:

      Que ridículo, não vejo nenhum ganho para a categoria. Até as pedras sabem que esses acordos não valerão nada, pois apenas a Fentect representa a categoria nacionalmente, doa a quem doer. Alguns ainda ficam disseminando essas babozeiras, como se fossem ganhos só para os sindicatos que estão na tal mnnp. Por que não discutem o POSTALSUSSAÚDE? Por que não revisam o PCCS? Por que não igualam a portaria dos motorizados? Por que não colocam o Adicional de Titularidade?
      AÍ SIM, SERÃO GANHOS, RESPONDE AÍ, POR QUE?

    • junior disse:

      Os garis do Rio de Janeiro mostraram para todos os trabalhadores como união faz a diferença.

      • Sergio disse:

        Talvez o sindicato deles não chame o pessoal da área administrativa de “pelego”, “fdp”, “covardes”, “vendidos” e coisas do gênero.
        Talves o sindicato deles REALMENTE represente a categoria toda e não apenas uma parte dela, como faz a FENTECT.

        • Ronaldo disse:

          É que provavelmente eles não ajam como tal, com é feito nos Correios onde os Administrativos dos correios se sentem mais importantes e melhores que o trabalhadores de base, e nunca tiram a B das cadeiras para lutarem pelo direito coletivo, esperando que os carteiros façam por eles, Porque não vem pra luta todos juntos?

        • Antonio disse:

          Ele passaram por cima da diretoria pelega do sindicato, só tiveram vitoria por que foram organizados pelo CONLUTAS.

  3. Carteiro disse:

    Esses 4 dias úteis contam a partir do dia inicial do atestado ou 1 dia após?

  4. Guilherme disse:

    Alguém tem notícia sobre a PLR?

    Ouvi dizer que este ano não teríamos.

    Alguém sabe?

    Astuto, está por aí?

  5. carteiro sonhador disse:

    Ate onde sei so pode ser negociado alguma coisa com a fentect,so vc astuto para acreditar nisso kkkk

  6. jorginho disse:

    Por que a ECT sempre começa a construir a casa pelo telhado?

    Os trabalhadores estão se perguntando sobre o realinhamento salarial no PCCS e a ECT dá volta e voltas enão vai direto a ponto.

    Promoção vertical para redistribuir a massa salarial dentre os estágios dos cargos ( jr. pleno e Senior).

    Promoção vertical para vacância de cargos Pleno, Sênior.

  7. Alves disse:

    Deixo aqui uma sugestão para a mesa de negociação e para o próximo acordo coletivo:

    1 – Na cláusula de reajuste salarial do acordo coletivo : Reajuste de 50% no SALÁRIO BASE de todos os empregados ou concessão de X referências salariais do atual PCCS.

    2 – Reajuste linear de R$ 50,00 ( cinquenta reais ) na tabela de remuneração singular.

    Aplicar essa fórmula por três anos seguidos para enfraquecer a tal remuneração singular.

    hoje em dia quem não luta, quem não participa da luta pelos direitos acaba sendo beneficiado pelo percentual de reajuste salarial.

    Por exemplo:

    Zé ganha salário base: R$ 1000,00 x 10% de reajuste = 100,00 de reajuste.

    Maria tem função de singular de ASTEC – Salário base R$ 1000,00 + função singular R$ 11.000,00 x 10% = 1.100,00 ( hum mil e cem reais de reajuste).

    REALIDADE ATUAL:

    Formula atual de reajuste: 10% : Maria tem reajuste de 1.100 ( 11.000 vezes 10% )
    Zé tem reajuste de R$ 100

    Você acha justo isso!

    SUGESTÃO:

    com o reajuste no salário base:

    Maria terá reajuste de R$ 100,00 ( salário base 1.000 x 10%) = 100 de reajuste;
    Zé terá reajuste de R$ 100,00 ( salário base 1.000x 10%) = 100 de reajuste.

    dinheiro público é para ser utilizado com parcimônia, com igualdade.

    Além disso, isso vai fortalecer o salário base de todos os empregados, pois salário base todos os empregados tem, sendo que função singular, onde ocorrem os maiores aumentos, nem todos tem e nem todos são filiados aos sindicatos.

    Isso é para demonstrar que os sindicatos não estão lutando por vocês guerreiros que fazem greve!!!!

    Outra sugestão é CONCEDER 20 REFERÊNCIAS SALARIAIS, que aumenta somente o salário base do empregado, limitado até o limite de referencias salariais da tabela.

    Outras sugestões:

    Valor da função carteiro motorizado: 50% do salário base do empregados titular da função;
    Valor das demais funções ( todas ) em todos os níveis: 20% piso salarial da ECT do respectivo cargo do ocupante ( nível básico, técnico, superior ).
    Valor das funções de confiança de empregados cedidos para a ECT 20% do piso salarial da ECT para o cargo de carteiro.

    • duvidoso disse:

      Alves

      Vivemos em uma economia de mercado onde há livre concorrência, onde prevalece a Lei da oferta e da procura, onde quem se destaca ou então realiza algum feito diferenciado consegue estar no topo do seu mercado consumidor, onde há respeito à legitimidade da propriedade privada. Bom, pelo menos deveria ser assim, apesar do nosso país caminhar à passos largos para o socialismo.

      O sistema que você sugere não se encaixa no sistema em que vivemos – economia de mercado – pois se aproxima do socialismo e, como a história mostra, após o socialismo vem o comunismo.

      Uma atividade de maior grau de responsabilidade merece sim receber uma remuneração diferenciada, ou então qual seria o motivo pelo qual alguém iria desenvolver tal atividade “diferenciada”, a qual também será cobrada em um grau diferenciado?

      O crescimento em razão do desempenho funcional deve ser algo natural, como um prêmio pela competência e habilidade apresentadas.

      Sabemos que o “aparelhamento político” da empresa é algo muito complicado, pois o mérito e a competência são deixados na gaveta em detrimento de escolhas feitas por apadrinhados políticos, mesmo que esses não apresentem o mínimo de qualificação para o exercício da função.
      Mas isto já é um outro problema.

      Não posso concordar em criarmos uma espécie de “punição” nas remunerações das funções, pois assim tomaríamos por completo o “valor” de destaque que tem o “excelente empregado”.

      Outro fato: até onde eu sei, o reajuste salarial não incide nos salários singulares ou nas funções. Essas, por sua vez, seriam reajustadas através de outros mecanismos, inclusive sendo fator de reclamações pelos que a recebem.

      • Alves disse:

        Duvidoso:

        Vamos por partes:

        você está tremendamente enganado:

        O reajuste incide sobre a remuneração singular e pelo que li você nem sabe o que é remuneração singular.

        2 – Antes do Partido dos trabalhadores, governar legitimamente a ECT, o PMDB e alguns funcionários de carreira, só chegam as altas funções com indicação política.

        Então meu caro, aparelhamento sempre houve, porém a guerrinha agora é que as pessoas de sempre estão perdendo as funções estão nervosas com isso.

        3 – Sobre economia de mercado, competitividade recomendo uma atenta leitura sobre o modo de governar FHC e sobre estado liberal ou periodo liberal que prevaleceu no Brasil no governo ITAMAR E FHC.

        Concurso CDD 10, agência nota 10, CEE nota dez: Tudo isso são práticas neoliberais, da era FHC que insistem em permanecer na gestão da ECT.

        Por que todos não são dez? A questão é que alguns CDDs não tem todos os recursos e com isso não conseguem as melhores pontuações. O sistema neoliberal adora gerar competitividade para iludir um grupo alvo.

        HISTÓRICAMENTE FALANDO E PROVANDO QUE VOCÊ ESTÁ ERRADO:

        Na escravidão do Brasil o senhor do Engenho dava um chicote para o feitor e uma arma de fogo para o Capitão do Mato.

        Os escravos se sentiam com medo do castigo do chicotte e do tiro da arma de fogo.

        ATUALMENTE: A empresa dá uma função singular para um carteiro e para o supervisor, tira-lhes o uniforme e empossados função de gerente de um CDD e poder de mando do Supervisor, com SAP, SID, Controlar, Poder de mudar de distrito, Aumento da remuneração via concessão de remuneração singular, tenta obter a mesma produtividade do engenho, submissão, dominação.

        A remuneração singular de hoje e a função equivalem ao chicote e arma do tempo do engenho.

        Veja os exemplos que fiz acima sobre o percentual de reajuste na função singular e no salário base. Quem mais trabalha tem um reajuste menor, pois o salário base é menor.

        • duvidoso disse:

          Alves

          Você apresentou no item 2 da sua resposta, a quem você possui consideração. Bom, cada um pode tomar a posição que quiser, até o dia em que o comunismo for realmente implantado pela “situação esquerda” e você terá que ser a favor do governo ou um inimigo do governo. Bem parcial, não é mesmo?

          É absolutamente natural que a esquerda sempre haja da mesma forma e as qualificações dadas a minha pessoa por você refletem claramente isso.

          Tranqüilo até aqui, mas não vou entrar nesse jogo de acusações pois aqui não há alcance de massa que valha a pena.

          O assunto ora tratado foi desvirtuado, mas algumas coisas carecem de breves comentários:

          – consulte os seus companheiros que tem salário singular e confirme quantas vezes eles receberam reajustes sobre o salário singular na mesma época do dissídio (e em percentuais iguais, porque foram menores na maioria das vezes).

          – a comparação que você fez a nós que não temos “função” ao retrato histórico do período da escravatura é sofrível. Mas aí a culpa deve ser dos professores esquerdistas que poluem as nossas escolas.

          – FHC, PSDB e companhia sempre foram de esquerda. “Farinha do mesmo saco” da nossa “situação” de esquerda atual, independente da política que apresentam. Ocorre que o PSDB é vinculado a Nacional Socialista Européia e a “situação esquerda” atual é vinculado ao movimento revolucionário. Hoje já é o PSOL que fala que a “situação esquerda” atual é que é direita do país, e a grande mídia divulga isso e o povo acredita que a “situação esquerda” não é mais esquerda.

          – Por fim, comparar um empregado ao outro pela ótica de que o que mais trabalha é o que recebe ordens de um outro, é, no mínimo, brincadeira de mau gosto. Gostaria muito de acompanhar como seria a sua administração empresarial em uma micro empresa com uns quinze ou trinta empregados, um ou dois encarregados, talvez um gerente e o Sr. como proprietário da empresa.

          • Alves disse:

            Duvidoso:

            1- eu não tenho funçao singular e sou totalmente contra essa REMUNERAÇÃO SINGULAR que a ECT criou.

            2 – Todas as vezes em que houve dissídio coletivo ou acordo coletivo o percentual de reajuste incide sobre a remuneração singular.

            Faça as contas pensando para daqui a 10 anos quanto vai ficar uma remuneração singular de R$ 20.000 e um salário base de R$ 1.000,00.

            A distancia vai ser longa meu caro e mais injustiças virão.

            Em relação a ver uma empresa administrada por minha pessoa, isso não será possível, por que ao contrário do que muitos, pensam e praticam na ECT eu não faço.

            Frases: Na minha unidade, no meu CDD, O meu carteiro, O meu atendente, Na minha Agência, Na minha REVEN, No meu CTC, No meu CTE, O meu GERAE, O meu CONEG, O meu COPER.

            eu não vou pagar essas horas extras?

            Alguém por acaso comprou essa unidade? Alguém aqui é patrão ?

            PEDAGOGIA DO CHEFE, QUE VOCÊ TANTO DEFENDE:

            Quando o sujeito recebe uma função na empresa, lamentavelmente ele perde a identidade, passa a ser conhecimento pelo TITULO DA FUNÇÃO. O nome de batismo não existe. João, José, Pedro, bonitos nomes bíblicos, agora são substituidos pelo titulo da função e isso faz escola:

            Lá vem o REVEN, Lá vem o CONEG, Lá vem o diretor regional da dr xxxxxxx yyyyy, Lá vem o DELOG, Lá vem o VILOG, lá vem o VINEG, Lá vem a VICOP.

            Homens e mulheres presos, sem identidade em jaula de cristal.

            PARA ARREMATAR ESSE DEBATE DE UMA VEZ, que não estou aqui para brigar com ninguém:

            A ECT mandou tirar o título do cargo da carteira funcional dos empregados, por quê isso embaraça a identificação do cargo para o qual o empregado prestou concurso.

            Então hoje um empregado aparece de terno, gravata, gel no cabelo, estampando um grande crachá no peito e LÁ SÓ TEM O TÍTULO DA FUNÇÃO.

            Faço as perguntas: Qual o cargo do empregado?

            Qual a identidade do empregado?

            O concurso é mera fachada de ingresso para um pretenso cargo? Depois de admitido vale tudo?

            Estamos olhando essa empresa com um olhar crítico, do que vai acontecer no futuro e não imediatista, NEM COM UM OLHAR DUVIDOSO, mas com um olhar realista, num forum onde acredita que se pode expressar.

            Futuro: Vamos ter um monte de empregados desviados de cargo, que numa eventual mudança de governo vão ficar encostados ganhando direitos adquiridos ” incorporação de função” enxugando gelo, ensacando fumaça, lambendo selo.

            A pessoa que precocemente ingressa numa função singular, cujo valor é alto em RELAÇÃO AO SEU SALÁRIO BASE, é nada mais, nada menos que um projeto de problema social no futuro, quando perder a função ou quando a incorporar ao seus vencimentos.

            Novamente respondendo sobre empresa particular e empresa pública:

            Na minha empresa particular eu faço o que bem entendo, do aumento, pago altos salários, demito, admito.

            Numa empresa pública não é assim, tem que fazer o que a lei determina.

            Prestou concurso para o cargo X, vai trabalhar nas atividades do cargo X e vai entregar resultados esperado para o cargo.

            Ultima resposta ao DUVIDOSO; eu não comparei o trabalhador ECETISTA ao trabalhador Escravo.

            Comparei os métodos de obter PRODUTIVIDADE do empregado:

            Seria o senhor DUVIDOSO UM analfabeto funcional, pessoa que lê um texto e não entende: 50% dos universitários no Brasil são assim. Tá na imprensa, tá nos estudos do MEC.

            No tempo da escravidão obtinha produtividade por ameaça, dando poder ao chefe ( fieitor e capitão do mato).

            hoje na ECT dá remuneração singular, para que os empregados temam o chefe, o respeito por que ele ganha mais. Ele ganhando mais, tem medo de perder o valor da singular e com isso ele ARRANCA produtividade do empregado ecetista, cumpre ordens abusivas.

            Muitos CDDs não tem a capacidade instalada, para absorver toda a carga do dia, mas se valendo do seu poder a ordem é RESTO ZERO, mesmo sem condições.

            Façamos a PAZ pelo amor de Jesus. divididos somos fracos e juntos somos um exército contra a tirania e contra o pano de fundo dos textos e práticas do dia a dia.

  8. Alves disse:

    Após 15 anos assinando acordo coletivo os sindicatos descobriram que as horas extras na ECT são pagas sobre o valor do salário base e não sobre a remuneração dos empregados.

    Primeiro é lamentável essa falta de sintonia dos sindicalistas assinantes de acordo coletivo, grevistas, que não ouviam nós os representados.

    Agora querem levar a ECT nos tribunais cobrando direitos sobre horas extras.

    ESPERO QUE NO PRÓXIMO ACORDO COLETIVO E NESTA MESA DE NEGOCIAÇÃO ISSO SEJA CORRIDO DE IMEDIATO, POR QUE ESTÁ CONTRA A LEI.

    Após 15 anos isso nem é tocado na mesa de negociação!!! Quem assinou o acordo coletivo !!!!!

    • antonio artur m mesquita disse:

      Passei 12 anos como volante(intinerante)como queira chamar. Das diárias recebidas eram descontados, INSS, POSTALIS,SINDICATO e outros, pelo que posso entender quando há descontos é remuneração ou não? Vejam só o que ocorreu comigo:No 13º e nas Férias, nunca recebi durante esses 12 anos n essa diferença em meus vencimentos. Ex; Salário R$ 1.000,00 + 800,00(diárias)= 1.800,00 todos os descontos eram feitos sobre os R$ 1.800,00 isso duarnte o ano todo, no final do ano só recebia férias de R$ 1.000,00 e 13º R$ 1.000,00. Fica o alerta para quem é volante/intinerante

  9. Alves disse:

    Acho estranho isso:

    Sindicalistas se reuni com presidente petista, depois se reuni com a turma do PMDB, depois se reuni com delegados sindicais e rezam a cartilha que:

    1 – Fazer operação padrão em SP – já começou;

    2 – dizem que no tempo do PMDB a empresa era melhor.

    Não to entendendo nada essa dessa mesa de negociação.

    chega dessa confusão, pois vai acabar um greve de 42 dias e vamos ficar refém de uma greve branca, chamada operação padrão em SP, onde há ligações partidárias.

    • Sergio disse:

      “Dizem”, não, era melhor quando o PMDB tinha a pasta das Comunicações.
      Era o paraíso? Não.
      Mas os números por si atestam que ela era uma empresa melhor para trabalhar.

      • Alves disse:

        Era melhor:

        O PCCS nunca teve aplicado os mecanismos de PROMOÇÃO HORIZONTAL POR MÉRITO ( perda de 23 referências salariais ) no tempo deles;

        Não houve aplicação de promoção horizontal por antiguidade; Perda de 06 referências salariais.

        Não houve aplicação da promoção vertical para mudança de estágio dos cargos (I, III, e III ) ou JR, PL, SENIOR.

        Os números provam mesmo, mas depende de que lado está o observador.

        O negado no passado, leva a enxurrada de ações trabalhistas na justiça, constituindo um aumento de despesa com advogados e arranha a imagem.

        Se o colega tiver tempo sugiro consultara as dívidas da empresa, do tempo deles, com O CADIN, COM O INSS, etc.

        ah e sem falar a lista de precatórios não honrados e a lista de pecatórios a pagar.
        Acho que algumas pessoas estão com sindrome de estocolmo.

  10. Rogerio disse:

    Sugestão.
    Auxilio creche para os homens.

  11. Alves disse:

    FICA A SUGESTÃO PARA A MESA DE NEGOCIAÇÃO E PARA O PRÓXIMO ACORDO COLETIVO:

    1 – Reajuste de 50% no salário base e nas funções convencionais.

    2 – Reajuste linear de R$ 50,00 na remuneração singular.

    3 – Valor de todas as funções: 20% do salário base do empregados titular.

    Pela valorização do salário base.

  12. Carteiro disse:

    Gostei da atitudes quanto ao dias úteis para a apresentação do atestado médico.

    Esse benefício vale só para os sindicatos que assinaram a MNNP? Certo?

    Agora e quem não é sindicalizado em nenhum sindicato? Como fica? A ver navios?

    E a PLR quando vão começar a discutir o valor? Ou isso já não cabe mais a MNNP?

    • Correios disse:

      Prezado
      Os benefícios acordados na MNNP só valem para os sindicatos signatários do protocolo de criação da Mesa de Negociação.
      Os empregados que não fazem parte de nenhum sindicato, mas são lotados na região de um sindicato não-signatário da MNNP, não terão acesso a esses benefícios.
      Vale ressaltar que a ECT continua aberta ao diálogo com as entidades representativas dos empregados.
      Quanto à PLR, esse será assunto da próxima reunião da MNNP, em 25 e 26 de março.

  13. EDILSON YOSHIHIRO MATSUBARA disse:

    COMPARTILHAMENTO DE EXAMES PERIÓDICOS

    Pelo pouco que pude pesquisar, concluí que estamos compartilhando o pagamento de parte dos exames médicos(aqueles ditos complementares mas que o médico, sem eles, não estão dispostos a emitir o laudo para a emissão do ASO), da mesma forma que um exame somente de nosso interesse. Seria justo cobrar de quem quer que seja(independente de RS) o compartilhamento de exames que, SMJ, são, a priori, de interesse principal da ECT? Imagine ter o desprazer de abrir o contracheque e ver elencados valores de serviços médicos referente a parte dos Exames Periódicos em que se teve a obrigação de fazê-lo? Pode até ser LEGAL mas não me parece ÉTICO e não sei dizer o porquê nem a própria ECT nem qualquer das Instituições Sindicais não terem solicitado, se possível, esta alteração. Aguardo um posicionamento e utilizo este canal como sugestão de um representante da ECT que se viu impedido de me atender diretamente.

    • Correios disse:

      Prezado
      Os Exames Periódicos, que são de obrigação da ECT, estão definidos em grades de exames previamente elaboradas, para os quais não existe compartilhamento. No entanto, no ato da avaliação médica, o médico assistente pode detectar algum problema de saúde não relacionado à saúde ocupacional e, neste caso, a praxe (não é só na ECT) é que o empregado compartilhe pelos exames solicitados. Não obstante, enquanto o médico está solicitando exames para simples esclarecimento de alguma doença ocupacional, certamente, não haverá compartilhamento.
      Existe uma regra geral, mas os casos específicos podem, e devem, ser estudados em particular. Sendo assim, caso sejam necessários maiores esclarecimentos, pedimos para que entre em contato com a Gerência de Recursos Humanos da sua regional.

  14. a atendente disse:

    E essa lenda do ticket cultura? Saí ou não saí?????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *