Novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, toma posse em Brasília

Nesta terça-feira (17) foi realizada a cerimônia de posse do novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, em solenidade realizada no edifício-sede da empresa, em Brasília (DF). Estiveram presentes ao evento o ministro das Comunicações, André Figueiredo, o ex-presidente da estatal Wagner Pinheiro de Oliveira, representantes dos poderes Executivo e Legislativo e dezenas de empregados.

O novo presidente lembrou que desafios fazem parte da sua vida e destacou a parceria que pretende estabelecer com os trabalhadores. “Sou movido por desafios e serei parceiro dos 120 mil empregados. Assumo esse compromisso para dar continuidade aos caminhos já traçados, mantendo o desenvolvimento efetivo dos Correios”, ressaltou. “Nós precisamos ser uma empresa competitiva. Não podemos ficar parados no tempo. O mundo está evoluindo de uma forma muito rápida e precisamos nos modernizar para atendermos às necessidades cada vez mais dinâmicas da sociedade”, completou Queiroz.

O ministro André Figueiredo enfatizou a grandiosidade da gestão anterior e destacou a importância dos Correios para a integração nacional. “Nossa política de comunicações integra todo o povo brasileiro. Além do Plano Nacional de Banda Larga, que a presidenta Dilma Rousseff colocou como uma das prioridades absolutas, acreditamos que também possamos aproximar toda a sociedade por meio do trabalho dos Correios, empresa pública que possui a maior capilaridade do Brasil”, afirmou o ministro, que deu posse ao novo dirigente.

O ex-presidente dos Correios Wagner Pinheiro de Oliveira realizou um balanço de sua gestão, que teve como foco transformar os Correios em uma empresa de classe mundial, destacando a realização de concurso público, a diversificação dos serviços possibilitada pelo novo estatuto e a revitalização da empresa, além do investimento de mais de R$ 2 bilhões em infraestrutura. “Agora é importante seguir fortalecendo os Correios em sua perenidade como empresa pública de logística, que é seu papel principal, além de diversificar os serviços públicos para atender, cada vez melhor, os brasileiros em todos os cantos deste país continental”, enfatizou.

Perfil – Mineiro de Campina Verde, o novo presidente dos Correios, Giovanni Correa Queiroz, graduou-se em 1971 pela Faculdade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Foi o primeiro médico do povoado de Redenção, pertencente ao município de Conceição do Araguaia, no sul do Pará. Em 1977, iniciou sua carreira política como prefeito daquela cidade. Foi deputado estadual e deputado federal pelo PDT do Pará por cinco mandatos. Em 2003, assumiu a coordenação da Fundação Nacional de Saúde no Pará, vinculada ao Ministério da Saúde, onde ficou por um ano. Antes de assumir os Correios, Giovanni Queiroz estava à frente da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego e Renda do Ministério do Trabalho e Emprego.


Esta entrada foi publicada em Institucional e marcada com a tag , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

6 respostas a Novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, toma posse em Brasília

  1. Gustavo disse:

    Lamento que o novo presidente não tenha experiência técnica ou administrativa para o cargo. A medicina, a política e a agropecuaria, são bastante distantes de qualquer rotina relacionada ao serviço postal. Desejo sorte, que é o que resta.

  2. RONALDO SILVA disse:

    LULA não tinha formação, presidiu melhor que os doutores; JOSE SERRA não era médico, foi um dos melhores ministros da saúde; em sua maioria, os grandes empresários não estão atuando nas áreas de suas formações; SÍLVIO SANTOS tinha apenas o nível médio quando administrava o BAÚ, SBT, PAN AMERICANO e TELESSENA, mas quando deixou o PAN AMERICANO com um especialista o banco QUEBROU! …
    Porque um dos maiores políticos do estado do PARÁ e do BRASIL não pode, com a sua competencia, tirar OS CORREIOS da crise?
    “Talvez seja a mão de um medico que vai curar a ECT”
    A C R E D I T E ! Tem cura.

  3. Gustavo disse:

    Admiro seu otimismo, Ronaldo.

    No entanto, Correios não é palanque, não é para políticos profissionais.
    Até mesmo Lula, que teve conquistas em seu governo, deixou problemas graves devido ao seu amadorismo, os quais estamos colhendo agora.

    Correios é coisa séria. Temos que dar lucro para crescer e melhorar o serviço para os nossos clientes.

    Se queremos ser uma empresa de classe mundial, devemos pensar como tal
    .
    Você jamais verá uma grande empresa sendo presidida por alguém sem um excelente currículo na área.

    Existe uma diferença entre administrador e empreendedor.
    O Silvio Santos é um empreendedor nato e excepcional.

    Por outro lado, não conheço nenhuma empresa que tenha sido levada ao sucesso pelo nosso novo presidente. Por isso, até que seja provado o contrário, não acredito que ele também seja um empreendedor excepcional, considerando que são poucos no mundo com esse dom, como o Silvio Santos.

    De coração, espero que você esteja certo e eu errado, amigo!

  4. Técnico Esperançoso disse:

    Boa sorte ao novo Presidente!!! Ele terá muito trabalho pela frente. Mas se escolher pessoas com QUALIFICAÇÃO e MERECIMENTO nossa Empresa sairá dessa. Os empregados dos Correios têm saudades da época em que a ética e a meritocracia faziam parte do nosso cotidiano.

  5. TITANICorreios disse:

    A sorte está lançada!
    Só tem 2 opções para o novo presidente:
    1 – ajudar a empresa para voltar o lucro e a devida qualidade;
    2 – confirmar o óbito e prepara-la para privatização.

  6. Domingos da Silva Mendes disse:

    Domingos disse:
    Espero sinceramente que o novo Presidente dos Correios tenha vindo para somar esforços em prol da recuperação dos Correios. Acredito que, se ele for um bom gestor e tiver sabedoria para escolher os Vice Presidentes e dai sucessivamente, podemos ter esperanças de vermos a nossa Empresa se reerguer, voltar a dar lucro e ter os empregados dos demais níveis hierárquicos motivados. Precisamos principalmente e urgentemente de uma boa gestão de pessoal.