Esclarecimento dos Correios sobre matérias com informações inverídicas em relação a sites chineses

Em relação às matérias que vêm sendo divulgadas em diversos veículos afirmando que os Correios “acusam” o correio chinês de “manobras” e “trapaças”, a empresa vem esclarecer: em momento algum os Correios acusaram a China de fazer qualquer tipo de manobra ou trapaça. Há, sim, uma constatação, não apenas do Brasil, mas dos correios de outros países que recebem importações do país asiático, sobre problemas percebidos nesses objetos: o não envio das informações eletrônicas, a utilização de etiquetas fora do padrão, que impossibilitam que essa carga seja induzida em máquina de triagem automatizada, além de etiquetas com impressão em baixa qualidade. Essas questões elevam os custos da operação dos correios no país de destino e aumentam ainda mais os prazos de entrega, causando nos consumidores a impressão de que o processo de correio, de forma geral, é ineficiente.

Em outras palavras, embora existam normas internacionais da União Postal Universal (UPU) que permitem aos operadores postais enviar objetos de até 2kg de um país a outro contendo documentos ou mercadorias sem registro, o que tem sido praticado pela maioria dos sites de compras chineses, essa modalidade de envio de objetos não possui rastreamento, o que impacta diretamente o consumidor, que não tem informações sobre a postagem nem garantia de prazo ou de entrega definidos.

Ainda, quando o envio possui registro, é de um serviço econômico/não urgente, que oferece apenas dois eventos de rastreamento (chegada no Brasil e entrega ao destinatário). Esses objetos possuem prazos de nacionalização e entrega mais dilatados, com toda a logística realizada via terrestre. O prazo estimado que os Correios possuem para entregar essas encomendas é de 40 dias úteis após a liberação pela fiscalização alfandegária. Em média, desde a postagem até a entrega, a espera pela encomenda pode chegar a 60 dias úteis (cerca de 3 meses). Cabe ressaltar que esses serviços existem apenas no contexto de objetos internacionais. No Brasil é proibido o envio nacional de produtos por meio desse tipo de serviço, que é exclusivo para envio de correspondências.

É importante que o consumidor brasileiro habituado a fazer compras em sites chineses tenha conhecimento dessas informações para entender melhor como funciona o processo como um todo e possa ter o direito de optar por serviços que melhor atendam a suas necessidades como importador.

Para garantir essa melhora do serviço ao consumidor, é necessário que os sites chineses encaminhem as mercadorias com as etiquetas no padrão recomendado pelo Brasil, incluindo a informação do CEP, que é essencial para otimizar o processo de entrega desses objetos. Além disso, os Correios têm a expectativa de que a China passe a enviar as informações eletrônicas de todos os pedidos. Recentemente, os Correios lançaram, em parceria com a Receita Federal, o Novo Modelo de Importação, com uma plataforma eletrônica que permite o pagamento de impostos e o desembaraço aduaneiro de forma mais simplificada. Mas para que o modelo funcione, o país de origem precisa encaminhar as informações eletronicamente. Caso contrário, os Correios são obrigados a digitar todas as informações, aumentando os custos e o prazo.

Outra necessidade é que os sites deixem claro para o comprador que tipo de serviço está por trás do frete grátis oferecido e o prazo de entrega no país de destino, além de fornecerem opções de serviços mais qualificados, para melhorar a experiência de quem compra naqueles sites.

Cientes dessa situação, os Correios já estão desenvolvendo, em parceria com órgãos internacionais, ações que visam sanar essas dificuldades. O assunto já foi tratado em conjunto com a UPU e, no congresso da União Postal das Américas, Espanha e Portugal (UPAEP), que está sendo realizado nesta semana, os Correios voltaram a expor a situação e propuseram soluções, que vão desde a obrigatoriedade do envio de objetos com informação eletrônica de qualidade à padronização dos códigos de endereçamento e rastreamento. A empresa também está em contato com os principais sites chineses para oferecer-lhes novos serviços que garantam a entrega dos objetos em prazos menores, de até 10 dias, na mesma plataforma do serviço doméstico PAC.

Tais medidas visam facilitar o processo operacional dos Correios e também trazer benefícios ao consumidor, que poderá optar pelo tipo de serviço mais conveniente, de acordo com suas necessidades, além de lhe proporcionar mais segurança e garantia sobre o envio da mercadoria.

De forma alguma os Correios são contrários ao e-commerce chinês. Pelo contrário, a empresa acredita, fomenta e valoriza o comércio internacional como um todo. Todas as ações que vêm sendo feitas, como os acordos e as aproximações com outros países, têm o objetivo de esclarecer o consumidor brasileiro e melhorar a experiência daqueles que compram em sites internacionais e dos empresários que exportam seus produtos.


Esta entrada foi publicada em Correios na midia e marcada com a tag . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

30 respostas a Esclarecimento dos Correios sobre matérias com informações inverídicas em relação a sites chineses

  1. SEG POA disse:

    OLA correios tudo bom
    site ALIEXPRES extinguiu o envio economico no TRACKING sem rastreio
    esta otimo comprar por la apos esta mudança
    o que consta e apenas o SITE EBAY e mais algums pocos que praticam este tipo de envio mais barato .
    realmente vcs DEVERIAM tambem entrar em contato com o SITE ebay que deve ser responsavelpor 90% das vendas sem rastreios que estao dando problemas. eu mesmo compro muito nesta categoria no ebay e nao tem a opção COM RASTREIO em 90% desse tipo de anuncio . SUCESSO na nova plataforma e facilitem ainda mais futuramente nao so importar mais EXPORTAR ja que voces cobram 99 reais o envio de CANETA. pra outro PAIS entao abraço a todos

  2. "joe ramone" disse:

    A demora na entrega de produtos da China não esta relacionado com a falta de padronização do correio na China. O problema está sim no prazo de 40 dias uteis apos liberação na RF para efetuar a entrega pelos correios do Brasil.

    Fora do padrão estão os Correios do Brasil com o prazo de 60 dias uteis desde a postagem até a entrega de encomendas internacionais.

    Se considerarmos o volume de envios que o correio da China realiza diariamente para todo o mundo, veremos que serve de bom exemplo aos Correios no Brasil.

  3. MARCO disse:

    Uma correção o serviço de carta pode ser usado para pequenos brindes sem valor mercantil. E se o Correios Brasileiro ainda não criou uma categoria para envio de pequenos objetos ou de valor comercial de pequena monta, está perdendo clientes para a concorrência….não justifica não prestar este serviço pelo custo das cartas registradas. Por ser a carta de valor social….me engana que eu gosto, ECT se tivesse interesse em função social ela teria mantido as unidades de bancopostal nas cidades sem banco e não nas lucrativas, onde normalmente há bancos….QUEM NÃO DA ASSISTÊNCIA ABRI ESPAÇO PARA A CONCORRÊNCIA…..ou seja, fiquem espertos e liberem o mais rápido a postagem de mercadorias por envelope a custo de carta comercial ou perderão mercado….lembrando que esta pratica é corriqueira no Brasil. é só experimentar comprar um pequeno objeto pelo mercado livre….sei da liberação de unidades de dados, não estou me referindo a isto…..compre um fone de ouvido mesmo e verá que ele chegará por carta. Pois o custo de envio por PAC é inviável….Se não dá por carta, cria um Pac e Sedex de 20 a 300 gramas, mas aí vão perder receita. então a melhor alternativa é usar o que já temos que que é a carta comercial e alterar o nome, para envio comercial ou envio não comercial..Sou funcionário e quero é vender….

  4. MARCO disse:

    OPS…ABRE…..Aproveitando. sejamos racionais…o custo para a ECT é o mesmo, empurrar o Sedex e o Pac? Até quando nossos clientes vão engolir isto?

  5. Isabella disse:

    Hahaha E quando é encomenda é nacional e temos o mesmo problema??? E culpa de quem? Ainda pago um frete caríssimo para encomenda vim amassada ou até extraviada! Conversa fiada! Serviço de quinta como sempre foi.

    • Diogo disse:

      De fato, é um absurdo virem querer fazer exigências de compras internacionais(para encarecer o frete), se mesmo pagando os valores absurdos cobrados, dentro do território nacional temos centenas de problemas, como atraso(e não somos recompensados), entregas erradas, devolução sem tentar contato com o cliente(mesmo com o Cel do cliente na caixa), enfim, precisa primeiro arrumar a bagunça dentro de casa.. fica aqui um exemplo: (Objeto PO890376240BR) podem consultar pra ver o prazo :-/

  6. Flavio Baldan disse:

    Apesar de toda dificuldade enfrentada por uma empresa pública, os Correios sempre foi referência nos serviços que prestam, com reconhecimento internacional.
    Eu sabia que os Correios não estariam travando esta “pseuda guerra” com os chineses… A final, uma empresa séria, que se reinventou e se modernizou, jamais seria capaz de tal atitude.

    • Almeida Alves disse:

      KKKKK vc é funcionário, só pode. E desses bem puxa saco mesmo. Correios deixaram de ser referência há muuuuito tempo. Serviço porco, entrega extremamente demorada, correspondências roubadas/ extraviadas/ quebradas, entregue em endereço errado, custos de frete caríssimos em comparação com transportadoras. Quer que eu enumere mais? Serviço de última qualidade prestado por funcionários mal educados, enfim. O único reconhecimento internacional dessa instituição falida é dos “serviços” que citei acima, nada mais!!!

    • Zé Solução disse:

      Isso foi no tempo do TELÉGRAFO. Chega de saudosismo.

  7. Jose disse:

    Vocês tinham que ter vergonha de entregar uma encomenda em 40 dias úteis.

  8. Fabio Ventura disse:

    Mas vocês são ineficientes! Demoram uma década para fazer uma entrega, sem contar que tratam os objetos como se fosse borracha, outra coisa, minhas importações chegaram no país dia 04/11/17 e para variar vai demorar uns 45 dias para chegar, piada, fora que as encomendas iniciadas em UM vocês incompetentes não são capazes de nos providenciar o rastreio, vocês devem ser PRIVATIZADOS JÁ!!!

  9. Renato disse:

    O “Novo Modelo de Importação” está gerando transtornos pra algumas pessoas que haviam publicado o código de rastreamento de suas encomendas: qualquer pessoa com uma conta no sistema pode recusar o recebimento de encomendas de outra pessoa, bastando para isso ter o código de rastreamento da mesma.

    E agora?!

    • Correios disse:

      Renato,

      De fato, entendemos que o código de rastreamento de uma remessa postal é uma informação do interesse exclusivo do remetente e do destinatário e não deveria ser divulgado a terceiros por essas partes. No entanto, a possibilidade de um estranho mal-intencionado instruir a recusa de uma remessa ocorre em momento tão específico do processo de nacionalização, que exigiria o acompanhamento do rastreamento passo a passo por essa pessoa. O nosso sistema está preparado para guardar o login de quem instruiu essa ação de recusa, o que permitiria uma investigação do fato. Ademais, esse tipo de malfeito poderia ser tipificado como um crime contra o serviço postal, o que poderia acarretar a penalização do malfeitor.

  10. Jucilene disse:

    Tenho compras de fevereiro que chegaram ao Brasil e até hoje não foram entregue. O Brasil é muito demorado nesse caso.

  11. Bernd Classen disse:

    Deve saber-se que o estado brasileiro atrasa intencionalmente as importações chinesas. Aparentemente, não pretendia comprar mercadorias baratas lá!
    Os pacotes serão deixados após o desembaraço aduaneiro 42 dias! Eu me pergunto por quê?

  12. Foda-se disse:

    Para mandar um PAC para meu vizinho de baixo eu pago mais caro do que mandar vir uma encomenda da China. Isso incluindo o preço da encomenda. E os correios ainda conseguem ter prejuízo. Chega de aumento. Chega de impostos. Chega de ineficiência.

  13. Jacob disse:

    Que dózinho dos Correios, sempre pensando – em parceria com nosso estimado governo – em nós e em como diminuir os custos que temos com todas essas despesas. Snif, snif…

  14. Skooter disse:

    Nada justifica 40 dias úteis para entregar um pacote. Os chineses enviam o mesmo tipo de pacote para EUA e Canadá, com as mesmas etiquetas ruins e tudo mais. E lá eles chegam em apenas uma semana. E são países que também tem dimensões continentais.

    • "joe ramone" disse:

      Sim concordo plenamente; nada justifica 40 dias úteis para entregar um pacote apos liberado pela RF.

      E a pergunte que persiste é: porque os Correios não se manifestam às inúmeras criticas postadas no blog neste sentido ?
      Cadê o respeito e a transparência para com seus usuários ?

      • Correios disse:

        Joe ramone,

        Os prazos de entrega no Brasil variam conforme o tipo de serviço contratado pelo remetente junto ao correio de origem. Assim, as remessas econômicas/não urgentes possuem prazos de nacionalização e entrega mais dilatados, podendo chegar em até 40 dias úteis após a liberação do órgão fiscalizador. Remessas expressas são entregues em até sete dias úteis. Esses prazos estão publicados no portal dos Correios, conforme previsto pelas normais postais. Para acessar, basta utilizar o endereço http://www.correios.com.br/para-voce/recebimento/prazos-dos-servicos-internacionais-de-importacao.

        • Marco Paulo disse:

          Mentira por que paguei frete expresso da china e já vai pra 70 dias sem receber meu produto, só correios mesmo, top estão de parabéns, deviam trabalhar pra mim, seriam todos demitidos, que venha outra administração pra varrer vocês daí.

        • "joe ramone" disse:

          Nada justifica 40 dias úteis (2 meses !!!) para entregar um pacote em território nacional (independente da forma de envio) !!!
          Isto está fora de qualquer padrão de eficiência e competência.

          Nenhum pais no mundo tem um correio que opera com este “prazo dilatado” para entregas de origem internacional.
          Isto está fora de qualquer padrão de eficiência e competência.

        • A. disse:

          E quando esse prazo de 40 dias passa (e muito) e a gente não consegue nem fazer uma reclamação pelo site dos Correios e nem falar com a Ouvidoria? O sistema fica “processando” eternamente e dá erro no final (há dias estou tentando reclamar e não consigo). Isso nada justifica! Que desculpa vão dar agora??

          • Zé Solução disse:

            Os correios arrumou um jeito no seu sistema para se livrarem de reclamações. Agora o sistema só aceita reclamações após o último dia previsto para a entrega do objeto. NÃO PERTUBEM, ESTAMOS NO PERÍODO DE REPOUSO.

  15. Correios, boa tarde.

    Coloquem no site botões de compartilhamento nas redes sociais.
    Isso ajuda a disseminar as informações que vocês colocam aqui.

    O boato espalhado corre mais depressa por isso, porque possuem compartilhamento fácil.
    Já o seu blog não.

  16. paulo tartano disse:

    Ah é?
    No quinto parágrafo voces dizem que é necessário que as mercadoria enviem etiquetas compativeis com a leitura mecanizada no brasil e blablabla, então como vocês explicam o atraso nas entregas dentro do brasil? Como justificam os preços e prazos absurdos? Qual a explicação de vocês sobre os inúmeros “destinotário ausente” e extravio de mercadorias? Tô curioso pra saber.

    • Correios disse:

      Paulo,

      Os prazos de entrega no Brasil variam conforme o tipo de serviço contratado pelo remetente junto ao correio de origem. Assim, as remessas econômicas/não urgentes possuem prazos de nacionalização e entrega mais dilatados, podendo chegar em até 40 dias úteis após a liberação do órgão fiscalizador. Remessas expressas são entregues em até sete dias úteis. Esses prazos estão publicados no portal dos Correios, conforme previsto pelas normais postais. Para acessar, basta utilizar o endereço http://www.correios.com.br/para-voce/recebimento/prazos-dos-servicos-internacionais-de-importacao.

      • Bianca E Alves disse:

        kkkkkkkk esse blog o correio não responde e sempre a mesma frase kkkk Brasil sendo brasil… tem que rir para não chorar.

        VAI UMA DICA: O GOVERNO E OUTRAS EMPRESAS DEVERIAM SEGUIR O PADRÃO DE COMO OS PAÍSES DE FORA TRABALHAM E COMO É EFICIENTE E ECONÔMICO.

  17. Eliane disse:

    Eu ja perdi 5 ou mais encomendas que comprei na China, uma tinha rastreio, e foi desviada, eu reclamei e me informaram que a loja que me vendeu é que tinha direito de reembolso, sendo que eu ja tinha pago pelo mesmo, depois desta minha reclamação eu fiz outra compra de um vestido preto e branco, quando eu recebi, não dava pra acreditar, o branco do vestido estava simplesmente amarelado de poeira, como se estivesse esfregado ele em um chão de terra amarela, absurdo, mas como culpar alguem sem provas? Eu procurei me informar com a loja que comprei e mandei foto do vestido, acredito que quem quer vender jamais faria isto quem fez so pode ser quem têm acesso, a loja me informou que mandou ele em perfeito estado, comprei outro igual e aconteceu o mesmo, o que fiz, foi acreditar com todas as minhas forças, que a pessoa que fez isto vai pagar caro, pode acreditar. A gente colhe o que planta.

  18. Maria Andreia Nunes disse:

    40 dias é muito tempo!!!!! É um prazo ridiculo! Que tal comparar com outros paises, vao perceber que o correio brasileiro tem o pior prazo de entrega do mundo!!!! Eu ficaria com vergonha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *