Artigo: Porque o Brasil precisa dos Correios

Neste domingo, 5 de maio, foi comemorado o Dia Nacional das Comunicações. A escolha da data é uma homenagem ao nascimento Marechal Rondon, considerado o Patrono das Comunicações no país. De 1890 a 1916, o militar mato-grossense percorreu mais de 100 mil quilômetros numa missão considerada quase impossível para a época: conectar pelo fio do telégrafo as cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo e o Triângulo Mineiro aos lugares mais distantes do Brasil.

Mais de 100 anos depois, os processos de comunicações e os serviços postais evoluíram em todo o mundo. Mas, ainda hoje, são os Correios que continuam o legado de Rondon de integrar o complexo e gigante território nacional. A empresa exerce um papel social inestimável, que leva aos brasileiros dignidade, cidadania e acesso a serviços públicos, atendendo a todos da mesma forma, seja onde for.

Não se trata apenas de uma empresa que entrega mais de 20 milhões de cartas e encomendas, todos os dias. Os Correios são o único operador logístico que chega em todos os 5.570 municípios brasileiros. Em 60% deles, também são o único representante da União. Estamos falando de inclusão bancária, emissão de documentos, distribuição de vacinas e donativos em caso de catástrofes.

Também estamos falando de megaoperações logísticas de alta complexidade. É por meio da capilaridade e expertise dos Correios que as urnas eletrônicas do Tribunal Superior Eleitoral, os livros didáticos do Ministério da Educação para crianças do ensino fundamental e as provas do Enem chegam em todos os lugares, no tempo exato.

Em Marechal Thaumaturgo, município do Acre, onde não há acesso por rodovia, os objetos chegam por avião e depois seguem de barco até o outro lado do rio Juruá, onde fica a agência dos Correios. Para se chegar ao arquipélago de Bailique, no Amapá, o carteiro leva 12 horas de barco saindo de Macapá. Já para ir de Manaus a Manicoré, são quatro dias de viagem pelo rio Amazonas.

Engana-se quem pensa que a vocação de integrar dos Correios se limita ao território nacional. A empresa é a porta que leva para o mundo produtos nacionais, fruto do trabalho de milhares de micro e pequenos empresários brasileiros. Também por meio do serviço Exporta Fácil, criado pelos Correios e reconhecido internacionalmente, o processo de exportação se tornou mais fácil e menos burocrático.

O Brasil precisa de um Correios forte, indutor do desenvolvimento social e econômico e motivo de orgulho nacional. É importante destacar, ainda, que a estatal é autossuficiente, não depende de recursos orçamentários do governo e não se mantém com impostos do cidadão. Ao contrário, gera receita para o Governo Federal. Fazendo o que sabem fazer, os Correios continuarão ocupando seu lugar no coração de todos os brasileiros.

General Juarez Cunha
Presidente dos Correios

 


Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Prezado leitor,

Só serão publicados comentários diretamente associados ao tema do post. Comentários com conteúdo ou termos ofensivos não serão publicados. Informações, dúvidas, sugestões ou reclamações sobre serviços devem ser encaminhadas ao Fale com os Correios

Os comentários estão encerrados.