150 Anos do Instituto Presbiteriano Mackenzie

Escrito por Instituto Presbiteriano Mackenzie

O bloco comemorativo dos 150 anos do Mackenzie, celebrado no biênio 2020/2021, é formado por duas fotografias e outros elementos visuais que remetem às bases da instituição e sua história. À esquerda vemos o prédio 01 do campus Higienópolis, local onde a instituição se consolidou e a partir de onde cresceu para outras cidades e estados brasileiros. À direita, a fotografia dos estudantes data de 1895. As imagens são do acervo do Centro Histórico e Cultural Mackenzie (CHCM).

Os logotipos usados também apontam para as raízes da instituição. Além do M que caracteriza o orgulho mackenzista de pertencer, ainda há, ao lado, a Sarça, logo da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) – associada vitalícia do Mackenzie.

Bloco Comemorativo

O círculo da imagem mostra Deus no centro de toda base do Mackenzie, e fundamento de sua existência, apontando para a tradição. Já o hexágono sinaliza a inovação constante e a busca por conhecimento, fazendo menção a um dos centros de pesquisa mais inovadores, o MackGraphe.

Fundado em 1870 por George e Mary Ann Annesley Chamberlain, o Mackenzie começou como uma pequena escola na sala de estar do casal, por iniciativa de Mary Ann. Os dois missionários presbiterianos, que vieram dos Estados Unidos para o Brasil anos antes, perceberam a necessidade de disponibilizar conhecimento e alfabetização de maneira ampla e sem distinções. Por isso, o Mackenzie se tornou uma das primeiras instituições de ensino do Brasil a ter alunos de todas as etnias e credos, mantendo unidos meninos e meninas, ao contrário do método que separava as crianças por sexo, poder aquisitivo, etc., que imperava na época.

Depois de um ano, o projeto de ensino, que antes recebia poucos estudantes, transformou-se em algo maior: a Escola Americana, que tinha esse nome pelo método diferenciado da cultura brasileira daquele momento histórico. Ainda surgiram dois novos cursos: escola normal e o curso de filosofia.

Escola Americana

Logo a seguir, uma nova fase se iniciava quando os Chamberlain compraram, da Dona Maria Antônia da Silva Ramos, baronesa de Antonina, um espaço de uma chácara localizada no bairro de Higienópolis, capital de São Paulo. Sim, este foi o início do campus mais populoso e famoso do Mackenzie e local onde se estabeleceria o prédio 01 que compõem a imagem deste bloco!

Além do novo espaço, a Escola Americana ganhou fama internacional e chegou ao conhecimento de John Theron Mackenzie, advogado norte-americano, que ficou tão impressionado com o projeto que resolveu fazer uma contribuição financeira. Curiosamente, Theron Mackenzie nunca veio ao Brasil, pois faleceu antes e, em 1890, deixou em testamento uma doação à Igreja Presbiteriana Americana para que se construísse, no Brasil, em continuidade à Escola Americana, uma escola de Engenharia. O desejo de Theron foi realizado por suas irmãs, que também fizeram contribuições financeiras para o projeto.

Esse foi um dos grandes marcos dessa história, pois foi esse valor que deu início à construção do conhecido prédio 01 de Higienópolis onde, em fevereiro de 1896, o curso da Escola de Engenharia teve início. A doação de John foi tão significativa que seu nome foi colocado na instituição como homenagem e agradecimento, dando início também à sua história universitária.

O pioneirismo e habilidade de se reinventar ao longo das épocas são marcas mais que reconhecidas do Mackenzie. Ao longo do tempo, a pequena escola do casal Chamberlain se desenvolveu e acompanhou o crescimento da cidade de São Paulo e do Brasil. E tudo isso sem perder de vista suas raízes confessionais, pois, desde sua fundação, a instituição enxerga e prioriza o ser humano por inteiro, no pleno desenvolvimento de suas capacidades físicas, intelectuais e espirituais. O ensino confessional cristão reformado, pautado nos ensinos e mandamentos de Cristo, não é apenas o diferencial, mas o norte, o centro que rege e orienta toda a instituição, possibilitando o pioneirismo, sem se esquecer da sua tradição.

Assim, o Mackenzie College que teve início com o curso de Engenharia se tornou o embrião da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) – reconhecida em 1952, por decreto do então presidente Getúlio Vargas.

Muitos são os momentos marcantes nos quais o Mackenzie esteve envolvido como protagonista. Dentro do mundo do esporte, por exemplo, o primeiro jogo oficial do campeonato paulista de futebol teve sua participação. Organizado pela Liga Paulista de FootBall, dois times entraram em campo no dia 03 de maio de 1902: Mackenzie e Germânia. O placar foi favorável ao Mackenzie nessa data, totalizando 2 x 1 para os mackenzistas.

O pioneirismo mackenzista nunca parou, Esther Figueiredo Ferraz é outro exemplo disso. Formada em Filosofia e Direito, ela foi a primeira mulher a comandar uma reitoria na América Latina. A advogada assumiu seu posto na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 1965. Esther também foi a primeira mulher a integrar o Conselho Seccional e o Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados (OAB) São Paulo e um ministério do país, o de Educação e Cultura, no período de 1982 e 1985.

Outros fatos curiosos e interessantes que marcam nossa história também podem ser citados como o orelhão, que foi criado por uma mackenzista. Formada na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) do Mackenzie, Chu Ming Silveira foi responsável pela concepção do famoso “orelhão” no ano de 1971.

Também vale lembrar que mackenzistas projetaram os prédios mais altos da cidade de São Paulo. O projeto do Mirante do Vale, no Vale do Anhangabaú, tem 170 metros de altura e 50 andares, e foi projetado pelo mackenzista Waldomiro Zarzur, em parceria com Aron Kogan, ambos formados em 1947 na Escola de Engenharia. Já o famoso Edifício Itália, localizado na praça da República, foi projetado pelo nosso antigo professor Adolf Franz Heep. Por último, o projeto do Farol Santander teve a participação do mackenzista Plínio Botelho Amaral. O edifício foi inspirado no Empire State Building e tem 161 metros de altura e 35 andares.

Estes são apenas alguns dos marcos que podemos citar, pois, ao longo de 150 anos de história, o Mackenzie enfrentou muitos desafios e participou da transformação de São Paulo e do Brasil como um todo.

Atualmente, o Mackenzie está em diversos locais do país, oferecendo educação e saúde para as pessoas, cuidando do ser humano de forma integral. Prova disso são seus Colégios, Faculdades, Universidade e Hospitais, em unidades em São Paulo (SP), Alphaville (SP), Tamboré (SP), Brasília (DF), Campinas (SP), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Castro (PR), Curitiba (PR) e Dourados (MS).

Cuidado com o ser humano criado à imagem e semelhança de Deus, autonomia, educação, saúde e dignidade. O Mackenzie olha para as pessoas como um todo, a partir da perspectiva cristã. É a fé que o move, que o guia em sua missão, a qual se alegra em poder realizar diariamente!

É assim que o Mackenzie celebra seu sesquicentenário, apoiado em sua tradição, com Deus em seu centro e olhando para o futuro, sempre inovando.

Publicado em Programação Filatélica 2021 | 8 comentários
  1. Herminio Chagas Toledo Chaves disse:

    É ridiculo os Correios fazerem um lançamento de um bloco em uma quantidade que não atende ao publico filatélico, vende 2/3 do total para uma única entidade e não disponibiliza a venda nem sequer no próprio site dos Correios.
    Mais uma vez os Correios brasileiro sendo os Correios brasileiro.
    Privatiza já.

    • Correios Filatelia disse:

      Caro Filatelista,

      De fato a comercialização do bloco comemorativo aos 150 Anos do Instituto Presbiteriano Mackenzie teve sua tiragem esgotada nas primeiras semanas após iniciada as vendas, com venda expressiva em todas as unidades que receberam o produto.

  2. José Euclides De Carli disse:

    Tiragem muito baixa deixou muitos filatelistas sem o Bloco.
    Lamentável

    • Correios Filatelia disse:

      Caro Filatelista,

      De fato a comercialização do bloco comemorativo aos 150 Anos do Instituto Presbiteriano Mackenzie teve sua tiragem esgotada nas primeiras semanas após iniciada as vendas, com venda expressiva em todas as unidades que receberam o produto.

  3. José Carlos Marques disse:

    Não sei se é fake, mas já ouvi de várias fontes que esta emissão, com apenas 15.000 blocos, teve 10.000 deles adquiridos pelo Instituto Mackenzie.
    A realidade é que este bloco não é encontrado em nenhum dos canais de venda oferecidos pelos Correios.
    Os poucos privilegiados que tiveram acesso a ele estão vendendo por preços absurdos.
    Acredito que a Comunidade Filatélica deve manifestar sua INDIGNAÇÃO e exigir RESPEITO por parte dos Correios.
    Assim, lanço este desabafo de repúdio aos Correios do Brasil e ao Instituto Mackenzie.
    Filatelista exige RESPEITO.

    • Correios Filatelia disse:

      Caro Cliente Filatelista,

      De fato a comercialização do bloco comemorativo aos 150 Anos do Instituto Presbiteriano Mackenzie teve sua tiragem esgotada nas primeiras semanas após iniciada as vendas, com venda expressiva em todas as unidades que receberam o produto.

      Atenciosamente, Correios Filatelia

  4. JULIO CESAR FABRO disse:

    Um registro filatélico altamente expressivo à instituição que, reconhecidamente, promoveu uma formação edificante e de excelência à milhares de estudantes que por lá passaram, contribuindo para seu desenvolvimento pessoal e progresso nacional.

  5. JOÃO B, ERTHAL disse:

    fabulosa historia que esta escrita nos anais de nossa patria estrangeiro que fizeram a historia do pais um exemplo que fosse sequido nossa patria seria bem difeente e honesta pessoas que fizeram historia parabens aos correios por essa contribuiçao civica ao nosso Brail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *