Entre Letras e Filmes

Escrito por Christina Habli Brandão Dutra

No próximo dia 25 acontece a grande premiação do cinema mundial, o Oscar 2021. E não é que a sétima arte sempre teve evidência na filatelia mundial? Em seus registros para os filmes clássicos, profissionais da área, personagens ou grandes fatos históricos.

No último ano, o serviço de streaming teve um boom com as pessoas em casa buscando formas de se distrair de uma nova rotina por causa da pandemia. Os estúdios tiveram o grande desafio para se desenvolverem remotamente, mais rápido e ainda melhor, sejam em produções originais, sejam nas parcerias, um mercado que já estava em crescimento ganhou mais força. E a prova disso foi o crescimento das plataformas de streaming que lideram as indicações da Academia de Artes e Ciência Cinematográfica de Hollywood para 2021: Netflix (35 indicações, 11 a mais que em 2020), Amazon (12), Warner (8), Disney (8), Focus Features (7), Sony (6), A24 (6), Searchlight (6). Entre os outros streamings, a Apple teve duas indicações, e o Hulu uma.

Alguns usuários já familiarizados, outros aprendendo a navegar nesse universo com a comodidade de ver o que se quer, quando quiser, o tão chamado serviço on demand. E esse mundo “novo”, com a falta do contato físico, trouxe a necessidade de despertar os outros sentidos para criar essa aproximação. Assim, a carta e a escrita estão presentes no dia-a-dia de tantas pessoas e em muitos filmes.

Aqui no Blog falamos sobre isso na publicação A Volta das Cartas (fev/2020) em que especialistas dizem que com a chegada dos meios de comunicação mais eficazes, a troca de correspondência ganhou um novo significado ao longo das décadas, inclusive para a Geração Z. Escrever cartas tornou-se um hobby, um trabalho manual ou até mesmo uma experiência social. “Não é uma sobrevivência do passado pura e simplesmente. É algo que informa, comunica um estilo de vida, um valor, crenças e faz sentido neste momento para essas pessoas”, aponta Lilian Torres, professora de Antropologia da Faap.

A troca de cartas entre penpals, “amigos de caneta” ou amigos de correspondência em inglês, tem se aprimorado e a busca por novas técnicas de como fazer sua carta é um tema presente nas redes sociais. Os vídeos mais recentes do Youtube chegam a ter aproximadamente 20 mil visualizações cada, demonstrando que o interesse do público continua presente. E assim a carta ganha muito mais significado, tanto no escrever como no modo de fazer repleto de personalização, identidade, cheiros e técnicas de scrapbook, muita criatividade, atenção aos detalhes, inclusive para a escolha da parte externa do envelope e do selo postal a ser utilizado. Em alguns filmes, a troca de correspondência, a utilização dos correios e dos selos aparece com esta interpretação contemporânea.

E por falar em detalhes, a trilogia de Para Todos os Garotos é cheia deles. O cartaz já mostra as minucias de um coração feito em leterring e dá dicas do filme. Tudo acontece quando as cinco cartas de amor escritas por Lara Jean Song Covey a cada um dos garotos que ela já amou são enviadas. Lara Jean é uma adolescente americana totalmente inserida no mundo digital que também gosta de escrever, o analógico e o digital andando lado a lado. E por que não?

Nessa trilogia, as cartas são personagens da história. É por meio delas que a trama se desenvolve, criando diálogos, contextos e vários momentos de ápice. Logo no primeiro filme, elas ganham a sua apresentação na fala de Lara Jean:

“As minhas cartas são os meus bens mais secretos….Eu escrevo cartas quando eu tenho um crush tão intenso que eu não sei o que fazer. Quando eu releio as cartas, eu lembro como as minhas emoções podem ser poderosas e cansativas. A Margot diria que eu estou sendo dramática, mas acho que o drama pode ser divertido. Contanto que ninguém mais saiba sobre isso.”

O cuidado com as cartas demostra o carinho e a sua importância, a partir das as emoções nelas reveladas. Isso também está explícito na forma de escrever, ilustrar, decorar os envelopes. Trazendo afetividade e personalidade para a carta que, ao ser postada pelo correio, ganha selos e carimbos dando vida, movimento até chegar ao destinatário e sendo misteriosamente o centro de toda a trama.

1ª carta revelada.

Na primeira carta revelada, o envelope tem uma perfeita composição. As cores dos selos carimbados se harmonizam bem com as do próprio envelope, que é um modelo padrão. Para dar mais afetividade, ele é preenchido com capricho usando o lettering, uma técnica que desenha letras e palavras trazendo originalidade, criatividade e delicadeza, além de mais romantismo.

2ª carta revelada.

Já a segunda carta revelada traz uma composição diferente. Os selos obliterados harmonizam com a escrita azul feita a mão, desta vez mais simples, sem tantas formas, curvas. E o envelope com aplicação de adornos dá cores que contrastam em equilíbrio.

Outras cartas aparecem na história e é possível identificar a diferença de propósito em cada uma delas. Por exemplo, na cena abaixo uma carta chega para Lara Jean, enquanto outras já estão na bancada. Em um olhar rápido já é possível identificar a intenção de cada carta e assim perceber qual delas é para a personagem principal do filme.

Cartas na bancada (cena do filme)

E por falar em intenção, em dar sentido com formas gráficas que expressam a emoção, a folha Selos de Natal – Palavras de Afeto foi criada justamente para isso. Para se transmitir os melhores sentimentos para quem se gosta.

Veja que cada selo traz um intenção com isso desperta uma sensação diferente e assim é possível criar mais conexão, mais verdade, mais envolvimento entre quem manda e quem recebe a mensagem. E mesmo antes de abrir a carta e conhecer de fato o conteúdo já cria-se um clima e um suspense sobre o que vem depois.

Já pensou se esses os selos estivessem em “Para todos os garotos…”? Qual deles você escolheria?

E na vida real, para quem você gostaria de espalhar afeto? Quem você está com saudade e merece um xêro, um chamego, um axé? Quem você tem fé, gratidão e sabe que a felicidade já sorri? E o amor? Ah, o amor. Quem você quer dar aquele abraço? Crie essa conexão. A folha com os 10 selos está disponível na loja virtual.

De volta a ficção, Para Todos os Garotos é uma adaptação do best-seller de Jenny Han é estrelada por Lana Condor (Alita: Anjo de Combate, X-Men: Apocalipse) e Noah Centineo (Sierra Burgess é uma Loser, Os Fosters – Família Adotiva). Direção de Susan Johnson.

Trailers: Para Todos os Garotos Que Já Amei

Para Todos os Garotos. PS.: ainda amo você – Parte 2

Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre – Parte 3

Conheça outras sugestões de títulos cinematográficos que possuem a temática do envio de cartas.

Um curta-metragem que conta a história de um menino que, por conta de contingências da vida, precisa ir morar com a avó na África do Sul. Lá, ele começa a ler cartas para os moradores locais, isso antes de ser atravessado por uma paixão inesperada.

Mudando de ares seguimos para o continente asiático com uma nova bagagem cultural. Carta Para O Primeiro Ministro é um filme indiano que conta a história de um menino que depois de ver sua mãe em um incidente dramático sai das favelas de Mumbai e segue para Déli com uma carta ao primeiro-ministro.

A diversidade de filmes que envolvem a carta e a escrita é imensa, tanto que a lista em seus vários gêneros e narrativas se multiplica. Temos animação em Klaus, drama em Beleza Oculta, Cartas de Guerra e Poderia Me Matar? E claro, temos os romances tão sonhados e desejados. Aqui tem apenas algumas sugestões pra você dos mais recentes.

Ah!! Manda essas dicas de filmes para os amigos e se tiver outras, coloca aqui nos comentários. Boa diversão!

E aproveitando a oportunidade, vamos relembrar os selos postais brasileiros que homenageiam o cinema nacional

1976 – Homenagem a Industria Cinematográfica Brasileira
1990 – Cinema Brasileiro
1998 – Cem Anos do Cinema Brasileiro
Publicado em Programação Filatélica 2019 | 6 comentários
  1. Muito boa a reportagem.
    Que bom se poderíamos contar hoje com a entrega de cartas simples pelos correios. Se for carta registrada, então tem mais chances de chegar no destino.
    Entendo que certos destinos, no exterior, estejam com restrições devido a pandemia. Mas internamente no Brasil, não vejo razão para tanto descuido.
    Colocar tudo na conta Covid é muito fácil.
    No fórum que participo, temos o costume de realizar “Jornadas Epistolares”. Mas as cartas demoram muito tempo. A última jornada iniciamos em dezembro de 2019 e só foi encerrada em junho de 2020.
    A alegria é muto grande quando se recebe uma carta e a tristeza de saber que ela não chega é também grande.
    Abraço.

  2. Antonieta Maria Merlo Garcia disse:

    Amei, as indicações de filmes. Sou fã de histórias baseadas em cartas.
    Alguns desses filmes já vi. Vou procurar outros.
    Parabéns pela publicação.

  3. Patrícia Souza disse:

    Que texto rico!!! Excelente conteúdo! Parabéns !

  4. Alessandro Ludgero Duarte disse:

    Muito legal! Verei todos esses filmes

  5. Maria Célia Maia Dantas disse:

    Amei, já assisti o filme Cartas para Julieta umas três vezes, escrever cartas são como guardar historias da vida, é como marcar o que passou e ler depois, relembrar, é maravilhoso.

  6. Kátia Comini disse:

    Excelente! Parabéns ! Belo conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *